4/29/2009

Por que vender o próprio nome...


Foi divulgado hoje que o estilista e empresário Tufi Duek deixou o grupo AMC Textil, para o qual trabalhou desde a venda de suas marcas e por acaso, de seu nome, Tufi Duek, Forum Tufi Duek, Forum e Triton em março do ano passado.

Nos mesmos passos dele, foram Renato Kherlakian(zoomp), Alexandre Herchcovitch, Isabela Capeto e Marcelo Sommer, todos venderam suas marcas para grandes conglomerados e holding esperando obter a curto praz, muiot dinheiro e alongo prazo, consolidação e poder como ocorrer com as marcas gringas mais famosas quando foram compradas pelos tres principais conglomerados de marcas de luxo do mundo, o PPR da Gucci, o da Chloe e Van Cleef and Arpels e claro o mais famoso, LVMH da Louis Vuitton.

O comunicado da AMC, marca que comprou as marcas de Tufi Duek disse que "o contrato previa que o estilista permanecesse como diretor criativo do grupo por um ano e poderia ser renovado por mais dois anos, se isto fosse necessário para integração das equipes das empresas". Mas a maioria dos estilistas, não aguenta nem um ano e acaba largando a direção criativa para ter mais liberdade criativa, menos pressão dos acionistas e claro menos obrigação comercial nas roupas.

"Como tudo correu dentro do esperado, a sinergia e a transição da gestão foram consolidadas com sucesso", completa. Tufi Duek está proibido de trabalhar em outra marca nos próximos quatro anos, informa a assessoria de imprensa MktMix da Forum.

É claro que a crise e o fenomeno de fire up que faz com que uma marca cresca mais que a própria empresa, "obriga" algumas marcas e buscar acionistas como bancos, holding, empresários de outras áreas e afins, mas será que vale a pena ir de uma casinha para um império e quando chegar lá, vender para outra pessoa controlar (fica a dúvida).

Eu acredito que grandes marcas internacionais fizeram isso, mas não em tão pouco tempo de existëncia, marcas como Dior, Chanel e Louis Vuitton possuem mais ou quase um século de vida e já passaram por muitas mudanças que as tornaram maduras para se sustentarem sem o seu pai criador.

É necessário saber se os grandes nomes que estão sendo negociados no mercado brasileiro realmente estão maduros para se sustentarem ou se é apenas um follow up das marcas internacionais. Antes de chamar isso de tendëncia, prefiro chamar de -pressa inimiga da prefeição.

Fonte: MktMix assessoria de imprensa e Erika Palomino.
Postar um comentário