Páginas

11/26/2009

A indústria da beleza chega ao Mobile Marketing



TAYLOR Disher, 22 anos, estudante de marketing, em Toronto, recentemente encontrou uma maneira útil para encurtar sua rotina de beleza. Ao invés de provar várias e várias camadas de lip gloss em uma loja de cosméticos, ela testou 20 diferentes tons de brilho labial em seu trajeto pra faculdade de trem usando um aplicativo do iPhone chamado Make Up.

Usando a tecnologia de reconhecimento facial, ela foi capaz de aplicar várias camadas de gloss virtual para seus lábios virtuais (em uma foto dela mesma criada por upload) até que encontrou um tom de rosa perfeito. No dia seguinte foi até a loja e viu que tom ideal combinava com a cor de dois produtos, um da MAC e um da Revlon, e o escolhido foi o primeiro.

Entenda o mundo da beleza virtual: Gloss para os lábios: 9 dólares. Aplicativo Make Up: 99 centavos na Apple Store. Tempo poupado: inestimável.

Esse é o cálculo que a Modiface, fabricantes de maquiagem e beleza e inúmeros outros desenvolvedores de aplicativo relacionado ao iPhone e iTouch estão esperando que seja feito pelas garotas de todo mundo e traduza-se em parcerias lucrativas com a indústria da beleza que gera em torno de US$ 43,2 bilhões somente nos Estados Unidos.

7 a 10 milhões de usuários de iPhone ou iTouch já baixaram um aplicativo relacionado a beleza ou indicaram que estão muito interessados em fazer isso. E, óbvio, o mercado da beleza não deixou essa oportunidade passar despercebida.

Não surpreendentemente, os aplicativos relacionados à aparência funcionam bem com garotas de 14 a 17 anos que ainda estão experimentando maquiagem e passando pela fase de auto-reconhecimento e os primeiros relacionamentos. Mas as pesquisas mostram que houve um crescimento de 19% nos últimos 3 anos desse mercado entre mulheres acima dos 18 anos, principalmente porque maquiagem deixou de ser um acessório para se tornar um estilo de vida.

Embora o foco ainda seja na relação com o próprio rosto, muitos serviços relacionados à utilidade e distribuição estão começando a surgir, como por exemplo:

- localizar serviços de estética, como manicures, salões, centros de estética via GPS;
-oferecer dicas e tutoriais sobre o que comprar quando você está na Sephora diante de vertiginosas opções;
- ou como aplicar um modelo de delineador de uma marca específica. É como ter o Petiscos, o 2Beauty e o TrendtTwins sempre ao alcance do seu celular.

Realidade Aumentada, provavelmente a maior tendência em gadgets, está sendo usada para explorar virtualmente, por exemplo, o recém-inaugurado departamento de cosméticos da Bloomingdale's em Nova York. Como? Para comparar os produtos, obter um make completo com os produtos da loja, aconselhamentos e, claro, fazer uma compra sem sair do sofá.

Cada vez mais, as marcas de beleza estão apostando nesse mercado. Carmindy, uma maquiadora americana estrela do “Esquadrão da Moda América”, lançou seu próprio aplicativo, para coincidir com a publicação do seu guia de beleza, "Crazy Busy Beautiful".

"Eu quero estar na bolsa de alguém, ali mesmo no banheiro, ou quando ela está se preparando para uma reunião ou sair pra uma festa", disse Carmindy, que também é criadora de Sally Hansen Natural Beauty, uma linha de produtos de beleza.

A L'Oréal Paris já tem seu aplicativo e a Avon vai lançar o seu no próximo outono, focando em vídeos, imagens e conteúdo avançado para firmar seus lançamentos da estação.

Mas uma marca de cosméticos já pegou seu posto de “net-friendly” do mercado de beleza à algum tempo e lançou um aplicativo para iPhone dedicado exclusivamente a sua mais recente coleção, a Lancôme hoje é a pioneira e mais bem-sucedida marca de cosméticos na internet com vendas online superando de longe as vendas das loja físicas e possui um blog seguido por milhares de garotas em todo mundo que dividem suas experiências e esperam ansiosas pelo próximo lançamento da marca.

Essa é a maior prova que mesmo a mais perua das mulheres tem uma Nerd dentro de si quando o assunto é gadgets em prol da beleza.

Imagens: NY Times e Apple Store

Um comentário:

Pantera disse...

Muito legal essa tecnologia, mas eu tenho lá as minhas desconfianças se essa moda de usar o celular para essas funções descritas vai mesmo pegar, ou se é só o ânimo da novidade.

http://paralaxehiperbolica.blogspot.com