11/23/2009

Marketing Trends to Watch


Aconteceu semana passada o San Francisco SEMPO, uma reunião mensal que um de nossos connectors nos EUA teve o privilégio de acompanhar. A reunião foi pautada por um painel sobre estratégias para sair da recessão. Apesar desse tema ainda estar em voga no hemisfério norte e quase esquecido no Brasil, vale lembrar que no mundo globalizado que vivemos, o erro de uns pode ser o aprendizado de outros e um desafio para os americanos pode servir de oportunidade para nós.

Os palestrantes, representando a Webtrends, o Napa Valley Wine Train e o Single Grain Consultancy falaram sobre as estratégias que eles usaram para alavancar seus negócios durante um momento econômico difícil, além de uma incrível análise ambiental econômica e mercadológica e citaram os planos que têm em mente para 2010, pautados principalmente pela trendhunter americana Webtrends.

Embora a principal conseqüência da última crise tenha sido as altas taxas de desemprego, os sinais de revitalização estão em toda parte - mesmo tendo um público de compra que agora está castigado, mais cauteloso e comprometido principalmente com a frugalidade.

Indicadores macroeconômicos estão tendendo de forma positiva, as empresas declaram os seus lucros de novo, e bens e serviços estão sendo entregues de forma mais eficiente do que nunca.

O negócio das vendas, no entanto, continua a ter um verdadeiro desafio para o futuro de curto prazo. Mas as novas maneiras que as pessoas compram e criam o seu próprio processo de compra é digna de análise Kotleriana.

Mudança de comportamento hoje significa ver os compradores de todos os tipos confiando mais em recomendações de redes sociais, fazendo compra comparada, análises de produtos e serviços pré-compra e estudos mais detalhados antes de fechar um compromisso de compra. Uma vez que um compromisso é travado, os compradores buscam as promoções, preços mais baixos ou de valor acrescentado, em seguida, promoções disponíveis no momento. A busca está no centro de todo o processo de compra, quando antes estava apenas no início e em seguida se observava apenas uma seqüência de intuições e deduções.

Considerando essas mudanças, as empresas devem presenciar em breve algumas novas tendências de gestão que servirão como resposta a essa mudança de comportamento do consumidor. A seguir, alguns Trend Watch analisados por Richard Pearsons, nosso connector de assuntos corporativos na Califórnia.

As empresas estão muito mais curto prazo do que nunca. Considerando que, no passado, uma empresa estaria disposta a focar seu marketing a longo prazo para construção e refinamento de uma estratégia, hoje elas querem saber o que o marketing pode fazer por elas nos próximos 30 dias.Os varejistas estão aprovando orçamentos, mas eles estão dispostos a retirá-los, se os resultados imediatos não são o que você está procurando. Eles estão muito menos dispostos a investir em experiências - eles querem o que está provado, experimentado e verdadeiro.

As empresas estão lutando com a atribuição. Já que os orçamentos estão tão apertados, o foco é primordial e isso exige atenção e análise dobrada para acertar o alvo na hora de atribuir valor para uma ferramenta, um canal um produto, um colaborador. Ainda não foram apresentadas resoluções para esse problema, mas como já dito acima, aquele que chegar com o resultado primeiro fica com a maior parte do bolo.

Os varejistas também estão tentando ser mais oportunistas. Para pesquisadores de marketing, isso significa muitas vezes olhar para foro do seu escopo, buscar parceiros em trademarketing, relações públicas e eventos. Estratégias integradas diminuem os riscos!

A maior discussão que toda conversa gerou é que a “Busca” está por trás dos indivíduos, e falar com eles, entender os motivos das mudanças de comportamento e interesse, seja por imersão em dados ou se juntando a linha de frente nas lojas e serviços de atendimento, é fundamental para compreender o Zeitgeist que estamos entrando.

Nunca se estudou tanto o toyotismo na administração e o termo “Just-in-Time” nunca serviu tão perfeitamente. Todos acreditam que 2010 será um ano muito mais claro e iluminado do que o obscuro 2009 e com eleições, Copa e tudo mais que temos pela frente, é melhor que seja mesmo.
Postar um comentário