11/30/2009

O QUE TEMOS PARA 2010 ?

Relatório de tendências da Trend Hunter MAG para 2010.


20. Personalizações tangíveis - Os consumidores vão desejar cada vez mais produtos personalizados.

19. Unservice Forward - Unservice não só poupa-lhe dinheiro, mas também permite que os clientes tenham um senso de independência e controle criativo nos estabelecimentos, será o começo do fim dos vendedores?

18. Peacocking – Pode ser entendido como “empavonação” em português. Lembram do pavão? Pois bem, é o como se denomina os consumidores que gostam de chamar a atenção na forma de se vestir, usando um look super colorido, como um verde claro florescente ou um óculos laranjíssimo, acessórios e roupas não são só para as mulheres, homens também estão usando.

17. Rental Culture – Seria um aluguel de experiência. O que já existe e está se expandindo para produtos e serviços cada vez mais bizarros. Artigos de luxo, roupas, bolsas, brinquedos para bebes e arte são apenas alguns exemplos do movimento.

16. Half Formal – O “metade formal” que já passou pelas passarelas e está nas ruas, traz o conceito de se vestir com metade de um conjunto de costume formal, como shorts com paletós, blazers com jeans, roupas semi... formais.

15. Prodependancy – Casais da nova geração estão mais propensos a agir em conjunto do que as gerações do passado. Então pense neles!

14. Not-So-Tricky Picky - “Não é mais complicado ser exigente”. Com a onda dos selos de excelência e de qualidade nos produtos e serviços, ficou mais fácil para o consumidor escolher algo próximo da perfeição.

13. DIY Healthcare - Esteja preparado para uma nova era de cuidados com a sua saúde tendo tudo na palma da mão. Exames, sensores de estresse nos relógios e monitores de fertilidade.

12. Nostalgia Marketing - Desenhos monstruosos, photoshoots e Alice in Wonderland, o sentimento Storybook apanhou os consumidores que procuram escapar de problemas econômicos e buscar refúgio nas fantasias do seu passado.

11. Crowdsourced Campaigns – Anúncios gerados pelos consumidores que podem ser bons ou ruins para as marcas. Fruto da liberdade de expressão na internet, cada vez mais forte e que assusta as empresas.

10. Exposed Vulnerabilty – “Vulnerável à exposição”. A mídia social redefiniu o nosso acesso à vida pessoal de ícones no mundo, celebridades e amigos.

9. Emotionology – Uma mistura de emoção com tecnologia. Ela não está envolvida apenas entre os seres humanos, agora está vindo em gargalhadas de alegria ou berros de um choro nos produtos.

8. Simpletising Fruit - Em um mundo desordenado, a clareza visual nas embalagens de produtos realmente se destaca.

7. Ecopolitan - Quer se trate de uma morada subterrânea, casa flutuante ou um edifício totalmente eco-sustentável, o desenvolvimento das metrópoles com foco ambiental está rapidamente se tornando um modo de vida.

6. Greenpliances – (Appliance é um equipamento desenvolvido e configurado para executar uma função específica dentro de um sistema) máquinas de lavar louça, máquinas de lavar roupa e armários de louça em miniatura, não só vão colaborar com o meio ambiente, mas ao longo do tempo, a sua maior eficácia vai ajudar a sua carteira também.

5. Nomadabodes - A recessão em combinação de uma arquitetura criativa com um alojamento temporário exclusivo, faz a “casa nômade” ser uma promessa para o futuro próximo.

4. Pop-Uptailing - Os varejistas usam conceitos temporários para criar a conscientização de uma marca mais rápida. (lembram Pop-up-stores aqui no MKTfocus?)

3. Life-Swapping - Você pode trocar casas, arte, serviços ou mesmo o seu guarda-roupa do armário inteiro. Antes, ter produtos usados era brega, hoje, se um se encontra em bom estado, além de ser uma troca sem dinheiro, ajuda o mundo com o custo de produção de novos produtos.

2. DIY Décor – DIY (Do it yourself) trás de volta o conceito “faça você mesmo”. Arte, mobiliário e hobbies são a saída perfeita para aqueles que estão de crédito triturado e não podem investir investir dentro de casa. Criativos, sejam bem-vindos.

1. Next Besting - Em vez de comprar o produto pelo preço ou pela maior marca, as pessoas estão tentando novos produtos, na busca da "próxima melhor alternativa". Ou seja, os consumidores estão deixando de ser passivos na compra e experimentando novos produtos.

Fica a dica...

Fonte: @trendhunter

Postar um comentário