Páginas

1/27/2010

VAGA PARA TRABALHAR COM UM AVATAR

Imagem: reprodução.
O filme Avatar é um retrato impressionante da realidade em que vivemos, passada em um mundo de fantasia, vindo de um diretor visionário, com milhares de artistas, efeitos especiais, um orçamento de US $ 300M e um par de óculos 3D. Mais do que isso, é a relação da história com o sistema capitalista em que vivemos.

No filme, o protagonista Jake Sully, um ex-fuzileiro naval paraplégico, tem a oportunidade de assumir a forma de um alienígena, Na'vi na lua Pandora. Não é preciso filosofar muito, mas por mais estranho que seja, o sistema capitalista investe pencas de dinheiro, seja das empresas, governos ou organizações para utilizarem “avatares” como parte das suas ferramentas de mercado. Como? Simples: pelo mundo virtual.

Essa realidade foi comprovada por uma pesquisa publicada pela Harvad, mostrando que, funcionários de grandes organizações como Intel, IBM, Accenture e muitas outras, utilizam perfis, não só em redes sociais, mas por email e telefone, para atender aos interesses empresariais.

Negócio são Negócios. Por isso, pessoas usam “mascaras” dentro das empresas, para agradar ao chefe, o cliente ou o colega que tem mais autonomia que outro. E dentro desse sistema, o que imperava na idade da pedra (como questão de estratégia e sobrevivência do instinto animal), passa a virar sinônimo de falsidade nos tempos de hoje. Uma falsidade tão bem aplicada, que fica próxima a excelência e gera bons resultados pro mercado.

Os Avatares são usados para debater idéias com colegas, recrutar funcionários, vender para clientes, realizar e participar de treinamentos de liderança, gerenciar projetos, colaborar com grupos e empresas ao redor do mundo inteiro. Mas até onde pode chegar um Avatar tão bem elaborado por uma pessoa, que na realidade, não é aquilo tudo?

Nada pode substituir um aperto de mão, um sorriso e um abraço sincero. Existem pessoas que sabem fazer muito bem um teatro no ambiente dos negócios, mas existem pessoas que sabem manter um personagem somente na internet ou pelo telefone, e na hora de falar em público, treme as pernas e não sabe se expressar corretamente.

O mais importante é que essas “marionetes” são muito bem elaboradas e sabem fazer basicamente tudo online. A pesquisa da Harvard (com alunos de graduação da Universidade de Stanford) mostra que as pessoas com entusiasmo a manter um avatar, podem colaborar, competir, diagnosticar, pesquisar, inspecionar, calcular, analisar, programar, organizar e comunicar de maneira bastante semelhante à vida real.

Vemos que dentro de algum tempo, a maior parte das grandes empresas terão seus eficientes Avatares e seus profissionais pés no chão, trabalhando paralelamente em dois mundos: na Terra e na Internet. Em qual deles você vive?

18 comentários:

Inez disse...

No mundo moderno o mercado de trabalho cada vez mais exigente já faz com que os trabalhadores sejam avatar.

Ingo disse...

hehe gostei do seu texto
eu ainda não vi esse filme, mas quero ver....

Alcione Torres disse...

Achei o filme fantástico e essa concepção dos avatares em ambiente de trabalho muito interessante. Realmente todos temos nossas máscaras e é ela que nos faz sobreviver ao sistema e nos manter lúcidos!

Renan Leal disse...

to doido pra ver esse filme, mas ele ainda não estreou em minha cidade, mas a sua ideia ficou muito divertida

Rogerio disse...

esse filme e muito bom...uma realidade alternativa que todos ja pensamos em estar....

Pirata disse...

Muito bom o texto.... realmente é o que esta acontecendo, estamos vivendo em um mundo cada vez mais individualista e distante de todos..... O filme é sensacional

kbritovb disse...

ah prefiro ser verdadeiro em todos setores, mesmo que meu jeito não agrade todo mundo. máximo q posso fazer é ignorar algumas coisas pra não piora a situação

L.aiila Hyses disse...

wow.
eu nao sei kk's
sei la eu acho que eu me encaixaria no perfil de que pela net eu osu super comunicativa mas em publico eiitaaa prefiro nem falar kkk's

Sopa disse...

As vezes ser você mesmo não é o suficiente para o sucesso desejado...

a mascara.. infelizmente todos tem uma, as vezes uma coisa diferente ali, outra aqui.. as vezes um novo rosto, disfarçamos o que nao agrada outros apenas pela aceitação...

e bom, é um bom filme.. desejo ver com mais atenção.

belo texto;

~
http://alumiina.blogspot.com

MR disse...

muito bom o texto!
e acho que o mundo evolui e nós estamos nos tornando descartáveis para nós mesmo!

Janelas do Rosto disse...

Interessante a analogia q vc criou. Desde muito tempo a humanidade cria máscaras, cria maneiras de ser o q não é e acaba sendo algo progamado. Ainda n assite a este filme, qualquer dia deses pretendo fazer isso! rs

Asaia Semeia disse...

Ta bom, ta bom, você me conveceu: vou assistir a este filme (embora até o momento não tive nenhuma vontade de ver...), não posso falar sobre o que não vi, não sei. Legal teu texto. Abraço.

War Inside My Head disse...

MUITO BOM O FILME E CONFESSO QUE ACHEI UM DOS MELHORES QUE VI NOS ULTIMOS ANOS!
O MUNDO ESTA EVOLUINDO E ACREDITO QUE DAQUI Á ALGUNS ANOS MUITA DA TECNOLOGIA APLICADA NO FILME, FARA PARTE DE NOSSA VIDAS!

Pobre esponja disse...

Legal essa analogia entre este novo e bem sucedido filme e o mercado de trabalho.

abç
Pobre Esponja

Camila. disse...

Filme espetacular e o texto também!
Muito bem escrito mesmo, eu adorei!

;*

Angela disse...

Todos nós, em algum momento, somos avatares, seja no trabalho, seja numa roda de amigos... Em algum momento temos que vestir uma máscara para conseguirmos algo, principalmente na profissão.

30 e poucos anos. disse...

Vivemos sempre com máscaras ... para o trabalho, para a família, para os amigos ... se sair de cara aberta vai se machucar

leonardo antoniolli disse...

e continua o teatro da vida, encenamos nossos papeis sociais com tal maestria, que agora devem ser implantados novos atores para que se continue a girar a grande arte da vida.

"a ficção é tão real quanto a realidade, quando a vemos já existe" diálogo final de "violência gratuita"