5/23/2013

A importância da motivação no setor público para o mercado

Falar do mercado privado é muito bacana e tals, ainda mais quando citamos exemplos de quem está fazendo algo bacana e com diferencial, que se tornam referências no mercado para nos inspirarmos a realizar um serviço cada vez melhor. Mas taí um setor no qual nos limitamos a elogiar e muito menos nos inspirar, pelo menos no Brasil - o setor público.

Eis que lidar com mercado é também depender, de alguma maneira, do serviço público. Seja por uma simples nota fiscal ou contrato que você irá assinar em cartório, você irá lidar com o serviço público uma vez ou outra. E pensar em serviço público, é lembrar de funcionário acomodado. Eis um paradigma que devemos quebrar e pensar de uma forma diferente, que existe sim muita gente boa à serviço da humanidade.

Abaixo, um texto muito bacana da Dra. Isabel Macarenco sobre o tema:
Os funcionários do setor público, como qualquer outro, tem horários, atividades e prazos a serem cumpridos e também precisam ser motivados para que assim possam apresentar um ótimo trabalho, com comprometimento e satisfação.

“Motivação vem de motivar a ação. E, parte das motivações que o ser humano tem está relacionada a estímulos externos referentes à gestão da empresa ou órgão em que ele trabalha. Mas como motivar no setor público? Não é muito diferente, a empresa pode propiciar motivação por meio de políticas de administração de pessoal, benefícios, prêmios, gratificações, bônus, horário flexível. Outros estímulos externos referem-se ao espaço físico, relacionamentos interpessoais e um plano de educação”, afirma Isabel Macarenco, doutora em Gestão, Comunicação e Pessoas e palestrante e membro do Instituto Brasileiro de Educação em Gestão Pública (IBEGESP).

Dra. Isabel explica que nem sempre as expectativas dos colaboradores/servidores serão atendidas na sua totalidade, então se entende que, parte da motivação que serve de pilar para o exercício das atividades pode ser estimulada a partir do próprio indivíduo. “O caminho da motivação individual baseado na autoresponsabilidade e liderança pessoal, amplia o interesse pelo desenvolvimento, clarificação de objetivos individuais, busca de conhecimento, valorização do perfil de competências, perspectivas de novos espaços de contribuição, metas e projetos para desenvolvimento individual. A ampliação da visão e do significado do trabalho do servidor pode estimular a importância do papel do servidor, que reconhece suas habilidades e faz uso de seus talentos para contribuir.”

Para a Dra., muitos abdicam da responsabilidade de seu papel e conquista de seu espaço social porque ignoram a importância da construção de um projeto de vida pessoal e profissional.“Resultados acontecem quando há vontade do indivíduo em querer gerar melhorias sendo estimulado pelo uso das próprias capacidades. Criamos experiências de acordo com o que acreditamos. Assim é com o aspecto do trabalho do servidor público, tudo dependerá do que ele acredita”, enfatiza.

Assim, trabalhar em um órgão público pode de fato ser gratificante quando uma nova consciência favorece atenção, vigilância e uso de novos conhecimentos. Não é necessário esforço extra, mas vontade consciente e crença no poder de contribuição. Ser capaz de criar um novo conceito de espírito público e sentir-se gratificado por isto não depende de conhecimento intelectual, mas de experimento.

Indagada sobre a dificuldade de motivação dentro de um órgão público, Dra. Isabel reforça que não é tão simples, mas que pode ser desafiador. Isso porque novos conceitos de mapeamento de competências e de educação corporativa estão construindo um espaço adequado para novas regras e crenças que servirão de matrizes para a construção de uma nova realidade. “Deve ser um plano de governo alimentado pelos planos institucionais e defendido por servidores que querem explorar novas possibilidades e novas facetas do sentido de servir.”

E, se motivar um funcionário público pode ser complexo, uma vez motivado ele pode desenvolver melhor o seu trabalho e apresentar ótimos resultados. Para isso, a palestrante do IBEGESP recomenda que o servidor público se veja como tal e comece pensando em outro sistema de crenças que adquira novas experiências e novas perspectivas de renovar a confiança na construção de um Brasil moderno.

Dra. Isabel Macarenco - Doutora pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) no Programa de Ciências da Comunicação, área de Interfaces Sociais da Comunicação; Mestre em Educação, Cultura e História da Arte; Professora Titular na FECAP; coordenadora da Escola de Desenvolvimento Gerencial da Universidade Corporativa do Sindicato dos Contabilistas de São Paulo e Coautora dos livros Comunicação Empresarial na Prática (2ª edição) eCompetência: a essência da liderança pessoal (2ª edição), ambos pela Editora Saraiva.

Postar um comentário