10/02/2009

MODA NA REDE


3 SITES DA WEB 2.0 QUE TODO PROFISSIONAL DE MODA+MERCADO DEVERIA CONHECER !!

O Buzz no Nova York Mercedes-Benz Fashion Week é sempre o mesmo: estilistas do mundo tomando o centro do palco, apresentando suas coleções no tempo previsto. Esta é a forma como a indústria da moda tem funcionado por quase 100 anos: Designers secretamente produzem a moda que se sentem ser mais relevantes para as suas linhas, e os varejistas decidem quais itens são mais relevantes para a sua base de clientes. Mas a indústria da moda está à beira de um ponto de inflexão - um que poderia mudar este sistema para sempre.

Mídias sociais têm desconstruído os meios tradicionais de comunicação entre os varejistas e consumidores, acrescentando novos canais para a discussão. Um designer pode se comunicar com seu público momento-a-momento, através de grupos patrocinados do Facebook e páginas de fãs, chats online, feeds do Twitter, Flickr e vídeos do YouTube e novos canais de compras na web facilitaram as conversas agora em mão dupla.

Entretanto, a principal fonte da indústria da moda é a Publicidade. Mas as publicações mensais estão enfrentando forte declínio nas vendas de anúncios neste ano - cerca de 47% dos anúncios previstos para a famosa Edição de setembro das revistas de moda caíram fora esse ano, segundo a Forbes. Se os designers querem permanecer relevantes, precisam diversificar para reduzir drasticamente os seus padrões de comunicação tradicional e participar do mundo on-line, principalmente do mundo 2.0 !

O analista Peter Kim da agência Sights of the Future criou uma wiki das 500 principais empresas com mídias sociais ativas com foco em estratégia e, infelizmente, apenas um designer de moda, a Costume National, foi listado. O wiki está atualmente em sua terceira lista de 500 empresas que utilizam mídias sociais, mas de todas as campanhas constantes, varejistas representam apenas 22% das empresas e designers de moda representam menos de um por cento.

É fato que todos nós já vimos outras marcas de moda por aí nas mídias sociais, mais apenas uma mini-minoria possui isso como parte do planejamento de marketing e não apenas uma ação pontual de comunicação.

Vamos a um bom exemplo...

Com 3,7 milhões de visitantes únicos por mês, o site de moda de vanguarda Polyvore é uma exceção à regra. Recentemente a Polyvore fez uma parceria com o poderoso Twitter e o designer Tory Burch em uma competição onde os fãs criaram colagens inspiradas em Veneza com os itens de sua última coleção para uma chance de ganhar roupas grátis e viagens. Esta campanha gerou mais de 100.000 page views e fez Tory Burch a marca #1 no site, antes da ação possua apenas 0,8% dos acesso do site.

E aí, tá bom pra você? Não dá mais pra ignorar as novas mídias e a moda como um mercado vanguardista e pioneiro não pode ficar pra trás mesmo né.

Aqui estão três sites de moda social que todo profissional de moda deveria conhecer de cór pra se manter atualizado no mercado:

Esse aqui combina vídeos e comerciais para criar uma linha de moda verdadeiramente única e experiência de compra na comunidade social. O site tem uma forte pegada indie que ajuda os estilistas a fornecer aos clientes, rapidamente, itens exclusivos e também a interagir a marca com os clientes atuais e novos através de lojas on-line, vídeo widgets e muito mais .

O lugar onde os designers podem postar seus portfolios e os fãs podem julgá-los e, em seguida, a cada temporada uma coleção é escolhido usando os estilos mais populares. Sua linha de raciocínio é "... a inspiração de hoje ... tendência de amanhã ...". UsTrendy produz as roupas populares e promove eventos. Eles oferecem interação e mostram as oportunidades para designers, artistas, modelos e fãs através de galerias, exposição da indústria, eventos e conexões de rede social. O site é um mash-up de Etsy.com, que dúvido que alguém conheça no Brasil e o Linkedin.com, famoso aplicativo de profissionais e empresas.

Combina moda e jogos para fornecer aos usuários um sistema de classificação divertido para decidir sobre a popularidade de marcas e estilos. Ele incorpora o yelp como funcionalidade para fornecer aos usuários informações sobre blusas e sapatos populares para determinadas cidades. As marcas ganham visibilidade com as peças que ganham fama e os usuários são capazes de comentar sobre cada foto com e compartilhar as imagens em suas outras redes. Pra mim, Genial !

Quer investir?

O primeiro passo é ouvir e interagir com seus clientes através de canais de mídia social, o segundo passo é criar oportunidades de compras na rede e fornecer caminhos fáceis de compras através de canais de mídia social. Enquanto os designers podem estar apreensivos em abrir mão do controle, ferramentas de mídia social são realmente plataformas de lançamento para os designers e podem reforçar a sua base de clientes e, finalmente o mais esperado, aumentar as suas vendas.

Fonte: Esse post é parte integrante do meu trabalho de conclusão de curso de Marketing
Postar um comentário