5/25/2011

Injeção para Viralização

por Igor Romeu.

Muitas vezes, quando alguém ou alguma marca coloca um vídeo no Youtube, quer que o vídeo vire um viral, mas sinto informar que nem sempre isso é tão simples.

Um vídeo viral tem vida própria, ele cai na rede e é visto e repassado por milhares de pessoas, faz sucesso, vira meme, vira hit, todo mundo comenta sobre, aparece na TV, efim, como fazer um vídeo se viralizar?

Para começar é preciso saber que (“até um sanduiche iche…” #brinks) qualquer um pode fazer um vídeo e disponibilizar na rede, qualquer um pode produzir conteúdo (relevante ou não). Deste modo , começamos a ver na tela pessoas comuns, que não saíam em capa de revista ou estavam na novela, fazendo sucesso, como a Stefhany do Cross Fox.

Antes da criação da mídia eletrônica, as pessoas tinham como referencia o sobrenatural, o que era criado pela mente do homem; com a criação do rádio e da TV a mídia criou o irreal, um ideal que foi imposto. Agora com a web, a vida real chamou a atenção do público, as pessoas começaram a poder se ver na tela, identificar a realidade, o real, ver o Charlie mordendo o dedo do irmão (mais uma vez).

A vida real é representada na tela por produções caseiras, feitas em casa, editadas no computador pessoal, uma estética simples. E essa estética sem refinamento dita os virais, por isso quando uma marca quer fazer um viral, ela filma uma ação real, que ocorreu com pessoas reais – sem personagens – e faz uma produção simples. Para um vídeo profissional parecer amador, com estética de viral, sai caro, para não ocorrer o risco de queimar uma marca.

Como disse Rosana Hermann @rosana: “os mouses clicam pela ressonância, clicamos naquilo que ressoa em nós”, ou seja, clicamos quando de algum modo aquilo mexe conosco. Diferente da TV, na web nós selecionamos a programação, vemos apenas o que queremos e podemos escolher não terminar de ver tal vídeo e partir para o próximo.

Então o que atrai os internautas para que um vídeo se viralize?
As pessoas se atraem pelo que as revela, o que as tocam, o que as reflete na tela, quando se cria uma identificação com o receptor; cria atração também algo que intriga, que instiga, nesse caso uma chamada de suspense, que cria curiosidade pelo conteúdo atrai muitas visualizações. E as pessoas se atraem pelo que é moda, o que é onda, todos querem estar ao menos por dentro da moda, se Luisa Marilac está tocando como dj na balada todos querem ao menos saber de onde surgiu essa pessoa, mesmo que não goste, se não alguém vira e fala “VOCÊ NUNCA VIU O VIDEO DELA?!”, e você vai ficar se sentindo a pessoa mais desinformada do universo e redondeza.

Portanto, quando chegar um briefing no qual o cliente pede que na campanha surja um vídeo viral, a gente manda ele rezar? Também não. Há fatores que ajudam um vídeo a se viralizar, o Mashable divulgou esse infográfico com dados que servem para dar aquele “empurrãozinho” na viralização:


Deste infográfico se tiram algumas conclusões:

- Quanto menor o video, maior a chance de viralizar

- O Facebook é o principal meio de divulgar videos para que seus amigos vejam, e esses compartilham para os amigos deles, que compartilham, e por aí vai.

- Videos de companhias de bens de consumo são mais visualizados.

- 57% dos impactados são mulheres de 18 a 34 anos.

*Igor Romeu é diretor de arte da B2, agência especializada em marketing e eventos para o público jovem e escreve originalmente no Blog da Agência B2

Imagem: Mashable Infographics

5/18/2011

W3C Brasil inicia estudos sobre Certificação Profissional em Padrões Web


Ok, já falamos aqui sobre o real valor das certificações, mas para quem curte vale acompanhar esse novo processo de certificação para profissionais da web nas áreas especificadas pelo W3C. O escritório brasileiro iniciou grupo de trabalho, com a participação de filiados brasileiros ao consórcio e parceiros, com o objetivo de estudar e levantar hipóteses para implantar processo de certificação profissional em padrões web. 

A iniciativa, além de analisar limites e possibilidades para esse processo, visa atender demanda dos profissionais do mercado brasileiro que há tempos buscam maneiras de certificar-se nos diversos padrões do W3C.

Ainda que os estudos sejam iniciais e que não haja previsão de sua consecução, os interessados em opinar, acompanhar notícias a respeito ou mesmo indicar interesse em candidatar-se a exames para obtenção de certificação podem cadastrar-se no formulário web constante no endereço http://migre.me/4yPeG

Um dos itens importantes do estudo do W3C é poder dimensionar se de fato há real demanda para essa certificação. O cadastro ajudará a obter alguma estimativa.

Os debates iniciais indicam 4 modalidade diferentes de certificação que poderão ser combinadas em níveis diferentes:

 * Padrões Web (HTML, CSS, ...)
 * Acessibilidade Web (WCAG 2.0, WAI-ARIA, ...)
 * Web Mobile (padrões para desenvolvimento de aplicações web mobile  ...)
 * Web Semântica e Dados Abertos (RDF, SPARQL, OWL, ...)

O formulário de cadastro é bem simples e não requer mais do que dois minutos para preenchimento: http://migre.me/4yPeG

Outras informações: http://www.w3c.br

5/10/2011

Fronteiras do Pensamento - Edição São Paulo


Vai ter início no final do mês de Maio a conferência internacional Fronteiras do Pensamento. Depois de 80 edições e tendo sua versão brasileira em Porto Alegre, esse ano o evento escolheu a cidade de São Paulo para explorar a compreensão do século XXI.

Pra quem não conhece, o Fronteiras do Pensamento é um projeto cultural múltiplo que aposta na liberdade de expressão intelectual e na educação de qualidade como ferramentas para o desenvolvimento. Organizado a partir de um curso de altos estudos, dirigido ao grande público, busca traduzir temas contemporâneos através de um ciclo de palestras que acontecerão por todo o ano de 2011 na poderosa Sala São Paulo. O evento é apresentado pela Braskem e ainda conta com patrocínio da CPFL e da Natura.

“Serão temas que nos trarão inquietação”, explica o professor Dr. Fernando Schüler, curador do seminário. “Queremos trazer para o debate temas importantes, dando aos alunos uma visão real dos próximos 10 ou 20 anos, nas diferentes áreas contempladas”.

Se animou? Confira a programação dessa edição do evento:

25/05 quarta Fredric Jameson
Norte-americano, crítico literário e pensador político, Prêmio Comemorativo Internacional Holberg em 2008.

14/06 terça Shirin Ebadi
Iraniana, Prêmio Nobel da Paz 2003. Primeira mulher a ocupar o cargo de juíza no Irã. Líder mundial pelos direitos humanos, exilada na Inglaterra.

22/06 quarta Miguel Nicolelis
Brasileiro, médico neurocientista, seu trabalho com próteses neurais integra a lista das “10 tecnologias que vão mudar o mundo”, segundo o MIT.

12/07 terça Zygmunt Bauman
Polonês, sociólogo, Prêmio Príncipe das Astúrias em 2010, autor de Modernidade líquida, O mal-estar da pós-modernidade e Vidas desperdiçadas.

09/08 terça Lech Walesa
Polonês, Prêmio Nobel da Paz 1983, fundador e líder do Sindicato Solidariedade e ex-presidente da Polônia.

28/09 quarta Luc Ferry
Francês, filósofo, ex-ministro da educação da França, autor de Aprender a viver e A nova ordem ecológica.

22/11 terça Alain de Botton
Suiço, filósofo, autor de A arquitetura da felicidade, Desejo de status e Como Proust pode mudar sua vida.

06/12 terça Orhan Pamuk
Turco, Prêmio Nobel de Literatura 2006, autor de Istambul, Neve, O castelo branco e Meu nome é vermelho.

Mais informações no site www.fronteirasdopensamento.com.br, pelo telefone (11) 4007.1200, no site www.ingressorapido.com.br ou pelo e-mail relacionamentosp@fronteirasdopensamento.com.br.

Imagem: Capa da Revista Fronteiras do Pensamento do jornal Zero Hora (Reprodução).