4/29/2016

Agradecimento - 9 anos de blog

Gostaria de agradecer ao leitores que nesses 9 anos de MKTfcus nos acompanham e continuam, mesmo que com poucos textos nos últimos meses, lendo e curtindo posts que foram publicados aqui.


Quando comecei o MKTfocus, em 2007, estava dedicado a escrever artigos sobre o mercado como parte do estudo que realizava na universidade. Achava que seria muito egoísmo da minha parte guardar tudo aquilo que descobríamos sobre o futuro sem compartilhar nada com ninguém.

E falando sobre o futuro, tendências de mercado e comportamento humano, olhando para trás, hoje vemos que muita coisa, de fato, se concretizou.

No mesmo ano, convidei o Fernando Dantas, grande amigo meu e profissional de marketing, que parava durante a semana, à noite, entre trabalho e aulas na universidade para compartilhar o que aprendíamos sobre o mercado.

O começo foi muito motivador. Principalmente em 2009, com o boom dos blogs, nós recebemos um gás de motivação dos leitores que interagiam conosco. Mas com o passar dos anos, começamos a tomar novos rumos, assumir novas responsabilidades, viajar a trabalho e escrever em outros canais.

Também produzi conteúdo para o um projeto de educação empreendedora do Sebrae, o Raio Brasil, em 2010, comecei a escrever para o blog do Laboratorium (2011) onde sou sócio até hoje e para o E-Commerce Brasil, projeto em que trabalhei de 2013 a 2015. Além do trabalho voluntário no time de comunicação do Burning Man Brasil, onde produzi alguns conteúdos para o site da comunidade.

Também tenho um blog pessoal, onde escrevo sobre humanismo, alimentação saudável, política e outros assuntos aleatórios. Somente no último mês, foram mais de 200 mil visualizações em todos os canais. O que me motiva bastante, ao saber que sim, temos o poder de alcançar mais pessoas pela internet do que pela grande mídia (TV, Rádio, Revistas e Jornais).

Nosso foco nunca foi atingir um grande número de seguidores, mas sim, ter uma base de qualidade, com pessoas realmente interessadas nos conteúdos que compartilhamos. E ter um número real de leitores engajados é mais motivador do que ter seguidores fakes que não interagem conosco.

E é disso que precisamos: alcançar mais pessoas com informação de qualidade, com experiências reais e conteúdo que inspira o mercado e pode mudar o rumo de muita coisa.

Mais uma vez: muito, muito obrigado!

Para quem quiser acompanhar o que vem pela frente no MKTfocus, siga a página no Facebook ou o perfil no Twitter e fique por dentro das próximas atualizações.

Abraços
@gustavosanti

3/13/2016

A 3ª Guerra Mundial já Começou: a Guerra da informação

A cada dia fica mais fácil para a maioria da população mundial conseguir enxergar quem são os "senhores" do mercado em pleno século XXI - a burguesia da nova era.

O histórico da humanidade neste planeta, mostra claramente quem já eram os grandes banqueiros e corporatistas que faziam parte deste bote-navio. Viajando para encontrar novas rotas de especiarias para a India e acabaram"conquistando" terras, carregando consigo diversos arranjos de mercado, tratados políticos e militares.


Dentro destes acordos mundiais, no decorrer dos anos (estamos falando aí de 500 anos, ok?), grandes poderios foram re-passados  ligados à famílias tradicionais, políticos, governantes, organizações religiosas e impérios. Essa gente que nunca andou de metrô, trem ou ônibus e pega helicóptero pra atravessar uma cidade que morre por baixo.

Os mesmo que influenciam a criação de legislações que beneficiam grandes empresas, acordos e rotas de especiarias (como a silk road), onde leva ouro, prata, e todo esse fundo obscuro dessas organizações, que ninguém fala sobre, está cada vez mais em evidência.

Mas o mundo mudou e agora as pessoas têm acesso a informação.



"É mais fácil pedir uma pizza ou comprar um sapato pela internet do que votar no candidato correto nesse país. Eu espero que vocês - a indústria de tecnologia e inovação - seja capaz de criar uma maneira de ajudar as pessoas a escolher o candidato correto e votar corretamente." Barack Obama #obamasxsw2016 #obamasxsw #sxsw#sxsw16


E realmente, a industria da tecnologia e inovação tem feito muito nos últimos anos. E mesmo assim não ganha o destaque que merece da mídia. Por que será?

A própria Globo, da família brasileira mais Rica do País, proibiu as empresas anunciantes de divulgarem os perfis nas redes sociais (Facebook, Twitter, etc). Por que? Medo?

Acontece que agora as pessoas possuem um espaço para discussão. Não só no Facebook, mas em toda internet como um todo. Fóruns, aplicativos, celulares, comunidades, redes, etc. O mundo mudou e chegou a hora de repensar todo um governo voltado para os mais Ricos (digo, MUITO ricos $$$$000000.).

Chegou a hora de se levantar. Pensar num mercado de economia criativa, agora a ser orientado para a população (ricos e pobres), para o meio ambiente e bem estar do todo.

Aquecimento Global é verdadeiro sim e parte do Estado de Minas Gerais, já foi vendida para Chineses plantarem Eucaliptos. Uma plantação que devasta a terra e tira a oportunidade de plantar cisas diferentes. Isso tem que acabar.

Não podemos demonizar um mercado de grandes corporações com um todo, já que existem outras grandes empresas com presidentes ligados ao crescimento sustentável, com o bem-estar da população.

É preciso buscar conhecimento, encontrar novas fontes de conteúdo, desligar a Tv Aberta (em qualquer lugar do mundo) e vivenciar nas comunidades a realidade do dia a dia. Essas redes, sim, são muito mais fortes do que as divulgadas pela mídia.

O que vemos hoje, essa onda do "ser do contra", é um desperdício de energia que deve ser gasta sendo A FAVOR.

Como disse meu amigo, Diego Fernandes, "ser a favor do diálogo, das minorias, do controle social do estado, da democracia direta, da participação popular nas decisões, da permacultura, da agricultura familiar e orgânica, dos commodities ambientais, do limite de propriedade de terra, da reforma agrária, do envolvimento, da empatia, da alteridade, da equidade, da inclusão, do passe livre, do direito ao aborto, das cotas para negros, das cotas para transexuais, do imposto sobre grandes fortunas, do imposto sobre veículos náuticos e aéreos, da economia solidária, do compro de quem faz, da redução do consumo, do consumo responsável, do mínimo impacto.