8/02/2013

Confira alguns testes básicos em um site de comércio eletrônico


Um dos piores erros de qualquer site nesse mundo é esquecer de testar suas funcionalidades principais. Em uma das consultorias que tivemos no StartCommerce aqui no E-commerce Brasil, encontramos uma empresária que não entendia porque o seu site não vendia. E ao simularmos uma compra no site, vimos que o botão "meu carrinho" não existia, o que deixava o consumidor confuso na hora de fechar o pedido. Eis o erro: o próprio dono não testa o seu site.

Testar o site além dos olhos de um empreendedor, é experienciar a usabilidade da trilha de compra com olhos de cliente, e não de vendedor. Vamos trocar a simpatia do design pela empatia de se colocar no lugar do outro.

Do basic to basic, um site de e-commerce deve testar alguns itens básicos, como a navegação em navegadores diferentes, combinações de plataformas e a usabilidade nos smartphones. Ok, mega básico, mas quem o faz e ainda não viu, muitas lojas pecam em esquecer de dar aquela "checada" básica após fazer alguma alteração. Escreveu, não leu...

Fazer uma pequena alteração na sua loja pode mudar todo o formato atual de uma página, e o impacto pode ser negativo em diferentes navegadores. O que aparece no Google Chrome é diferente do que aparece no Internet Explorer 7, por exemplo. Uma alteração sem checagem embaça a comunicação entre páginas e dificulta a visualização do cliente. Um errinho básico pode ser fatal para causar o abandono do carrinho.

Os varejistas estão se esforçando para deixar seus e-commerces mais amigáveis nos dispositivos móveis. Seja no tablet ou no smartphone, o comércio eletrônico brasileiro ainda tem muito a evoluir, mas ao mesmo tempo já vemos grandes marcas dando exemplo de como se faz. Nem preciso citar quais são, basta experimentarem para ver a diferença. Das abordagens nos dispositivos móveis se dão nos diferentes modelos, como CSS e código HTML. E na lógica, o caminho que a maioria segue, é em busca de um modelo onde o site se ajusta rapidamente na tela do dispositivo, deixando o visual mais bonito, atrativo e instigante num primeiro momento, mas ao começar a navegação, peca pela ausência de usabilidade e praticidade na mudança de uma tela para outra.

O desafio é grande. São muitos tamanhos de telas de dispositivos e várias versões para o sistema operacional Android. E mesmo com testes mais fáceis nos dispositivos da Apple, o caminho para desenvolver algo para os apple lovers também é complexo, mas não impossível.

Mas afinal, o que testar ?
- As alterações no conteúdo, como banners, imagens, destaques e notícias;
- Formatação das mudanças dentro do style sheet do CSS;
- Ao adicionar qualquer conteúdo que apareça nas telas de checkout;
- Alterar as definições que podem afetar o seu check-out, tais como pagamentos, os dados coletados, carrinho, links ou promoções de check-out;
- Adicionando ou removendo links. Teste regularmente as páginas cruzadas que podem quebrar se um item é removido ou uma promoção expirar;
- Promoções: Verifique se você não está promovendo artigos expirados do seu estoque;
- Mudanças de navegação no site;
- Modificações do modelo da plataforma;
- Formulários adicionados ou modificados;
- As alterações nas configurações de entrega;
- Os cupons promocionais acrescentados;
- Mudanças no processo de longin;
- Landing pages adicionadas ou removidas;
- Novas campanhas de publicidade que apontam para páginas de destino específicas;
- Atualizações de sistema, softwares ou aplicativos;
- Mudanças nos principais navegadores ou sistemas operacionais que afetam os seus clientes, como as atualizações do Windows, Internet Explorer, os principais lançamentos do Chrome, Safari e Firefox.

São tantos pontos que podem ser destacados que podemos listar vários outros por aqui. O mais importante é testar tudo aquilo que pode afetar negativamente o seu site.

Existem diversas ferramentas pagas para testar o seu site e empresas que oferecem soluções para garantir a segurança contra os erros básicos de um e-commerce. Mas para quem ainda não pode gastar com isso, fica a dica dos principais pontos para serem testados.

Teste mínimo:
No mínimo, testar os principais navegadores que você vê no seu analytics, no Windows 7 e 8, e no Apple OS X. Estes devem incluir, pelo menos, os dois últimos grandes lançamentos destes navegadores:
Internet Explorer;
Safari;
Chrome;
Firefox.

E para celular, teste nos seguintes dispositivos o navegador padrão:
Google Android: Existem muitos para recomendar dispositivos específicos, escolher uma tela menor e um tablet maior. Escolha mais, se possível, dados o números de variações.
A Apple IOS: No iPhone 4, iPhone 5, iPad e iPad Mini.
Telefones como Windows e BlackBerry.

Finalizar uma atualização no seu site e dizer que está pronto sem realizar testes não significa segurança, é imprudência demais quando estamos lidando com negócios. E as funções protetoras da internet não protegem os negligentes. Afinal, não somos máquinas, somos humanos por trás de tudo isso. Vamos testar!

Fonte de informações para esse post: Practical Ecommerce
Imagem: Raremile

O combinado não sai caro nos negócios


Eis a grande chave para manter a harmonia, sinergia e evitar problemas nos processos e relacionamentos dentro e fora do negócio.

O combinado com a equipe (e com você mesmo):
O primeiro andar de comprometimento de um negócio é interno, com a equipe (ou com você mesmo, no caso "eukeep"). E como toda evolução é de dentro pra fora, assumir a responsabilidade do prometido/combinado é essencial para que tudo dê certo, sem tomar o tempo dos outros (o tempo é precioso!), para que a sinergia perdure com os seus funcionários, fornecedores, parceiros, clientes e amigos.

São propostas fechadas que devem ser cumpridas. Coisas básicas como:
- Chegar no horário combinado - tenha a sua agenda sempre em dia. Cumpra com os seus compromissos pessoais e sempre deixe uma margem de horário entre um compromisso e outro caso aconteça algo no meio do caminho que pode te atrasar.
- Não se atrasar para reuniões - é na reunião onde se perde tempo. Por isso lembre-se de que tem um grupo de pessoas esperando por você para começar a produzir e tomar decisões importantes. Caso a reunião não seja importante para você, não se comprometa com ela.
- Prometer somente o que pode ser entregue - não dá pra prometer vinho se você não tem nem água para transformá-la. A equipe, parceiros, clientes e projetos contam com o seu potencial produtivo para fazer acontecer e fechar um combo de entregáveis redondinho.
- Realizar entregas nas datas combinadas - não tem coisa pior do que esperar por algo. Seja uma pessoa, um serviço ou produto. Por isso tome cuidado ao prometer uma entrega. Isso pode limar toda a confiança do seu trabalho com outras pessoas caso você não consiga cumpri-la.
- Fazer o seu trabalho (cada macaco no seu galho) - você se comprometeu a realizar a pintura e não a moldura. Se já tem uma responsabilidade específica por quê assumir a responsabilidade de outra pessoa que já está fazendo tal tarefa? Respeitar o espaço do outro dá margem para que cada um desenvolva o seu potencial, na sua área/departamento.

O combinado com o fornecedor:
- Passar o briefing certo (nem sempre é perfeito, mas podemos melhorar, né?);
- Definir datas dos entregáveis e respeitá-las (de ambas as partes);
- Dar o apoio que foi oferecido ao fornecedor naquela reunião presencial;

O combinado com o cliente:
- Pegar um briefing já definido (esse pode mudar milhões de vezes- evitar a troca de pedidos é essencial para economizar tempo e evitar refações);
- Combinar somente o que pode ser entregue, pois prometer para o seu cliente que a cor do cabelo dele irá ficar castanho acinzentado e só ter tinta pra pintar de vermelho púrpura não é nada legal. Lembre-se também quantas "pernas" a sua empresa tem.
- Jamais esquecer da ata da reunião - é a ferramenta que salva qualquer ausência ou pedido a mais. Ter as definições documentadas por email para ambas as partes é mais do que ético - é seguro.

Evitando problemas
Nada como uma agenda cheia bem organizada para que nada saia do controle e você não deixe ninguém "na mão" pelo simples fato de algo ter atrasado algum processo que impacte o comprometimento no final.

Para isso, existem diversas formas de gerenciar o tempo. Seja via teoria de Covey (com os 7 hábitos) ou via GTD (Getting Things Done). Colocar em prática qualquer teoria é essencial.
Colaboração @carolinasudati :
Aprenda a dizer não no fim.
Acho que esse é o grande segredo do "combinado não sair caro".

Fica a primeira dica do ano para todos que já tenham passado por algum "calote" no tempo. Afinal, tudo é aprendizado e o comprometimento envolve a confiança, devoção pelo que faz, ética e respeito com o tempo do próximo. Fique esperto!