10/30/2009

Caça ao tesouro em seis capitais brasileiras

A TIM promove uma caça ao "tesouro" em seis capitais brasileiras.


Hoje vimos que as operadoras Claro, Vivo e Oi foram multadas em R$ 4,6 mi pelo mal atendimento. O que é certo, pois só assim as empresas aprendem à investir mais no bom atendimento dos consumidores.


Fora desta cena, a TIM começa a promover a caça ao tesouro, que se trata dos aparelhos recém lançados pela operadora aqui no Brasil: o Samsung Galaxy e o HTC Magic, vigiados 24 horas por uma webcam, eles estão escondidos em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.


Você pode visualizá-los no site e já fazer o cadastro para participar do desafio, que lhe renderá pistas em redes sociais como: Orkut, Facebook, Twitter, Picasa, Google Earth, Google Maps e YouTube.


A ação terá um personagem, o Nioda, que pelo seu blog, irá ajudar os participantes com dicas e pistas para solucionar o enigma, trazendo mais interação à ação.


O Desafio TIM faz parte de uma ação promocional que até o final da semana levará para as mesmas capitais uma apresentação em praça pública de uma pirâmide humana.


Imagem: Reprodução


Composta pelo grupo artístico Fractons, a performance pretende estimular a interatividade com o público para que os consumidores possam testar os aparelhos que trazem os serviços do Google integrados. Os vídeos serão veiculados no canal da TIM no YouTube.


Vale a pena para quem tem tempo de sobra e pode sair procurando um celular pela cidade!


Fonte: CCSP

10/28/2009

LOOK BACK TO GO FORWARD

Nas agências e bureaus de pesquisa de tendências o que mais se procura são vetores de sinais de tendências. Aquela coisinha ou aquele monstro gigante que direcione os caminhos da sociedade para algo novo e que tenha capacidade de influenciar o comportamento da massa em geral.

Em todos os cursos da área que se pode fazer, sempre se ouvirá que as Belas Artes e os grandes mestres da arte são grandes influenciadores e possuem papel importante nas mudanças de paradigma de comportamento e consumo que a sociedade enfrenta. O difícil é acreditar nisso quando se parte pra prática, quando se inicia uma pesquisa e se descobre o quanto difícil é linkar movimentos sociais-antropológicos as Belas Artes.

Para quebrar o tabu de alguns trendhunters que trabalham comigo e também para mostrar para vocês o quanto isso é realidade. Peguei uma ajudinha da incrível Smashing Mag para mostrar como a Arte e o Design se misturam sempre. Preparem-se para uma explosão de
cores em RGB.

YVES KLEIN


BRITAIN ROCK


ANDY WARHOL

CARSONIFIED

POPOVA


DOUGLAS MENEZES

MONET


VIGET INSPIRE

BASQUIAT

ORANGE LABEL


Exemplos de projetos bem executados enchem as galerias virtuais de templates, blogs e fontes online como o Flickr. As principais revistas do setor, como a Communication Arts mostram o que de melhor oferece um design moderno. Muitos de nós olhamos sempre para essas fontes para encontrar sinais para nossas inspirações.

Mas muitos designers não se preocupam em procurar obras de arte no início da história, quando grande parte do tempo se pensava em criar e não em vender. Ao recuar no tempo e passear por um museu de arte ou se dedicar a leitura da biografia e as obras de um artista do passado, pode-se encontrar novas maneiras de abordar os desafios dos projetos de hoje e, às vezes, encontrar algo tão futurista quanto o que é produzido na web.

FICA A DICA: O ontem já foi o amanhã de uma certa época.

Agradecimentos: Smashing Mag

Diesel Flash For Fun em NY

Para quem ainda não viu, no mês passado a Diesel fez o lançamento da linha FLASH FOR FUN. A inusitada coleção da marca é baseada em peças que brilham no escuro, com a proposta de usá-las tanto no trabalho e na sequência na balada, no estilo camaleão de vestir. E o brilho não ficou só no jeans, ele está também na coleção de inverno das camisetas, tênis e lingerie.

É com um revestimento especial fluorescente que faz ocorrer a mudança nas peças, aplicado no algodão e no Denim. As peças “Flash for Fun” são discretas durante o dia e só revelam suas informações e pontos brilhantes durante a noite em contato com a luz negra.



Fazendo os seus consumidores brilharem ainda mais, a marca italiana promoveu ontem a rave “flash for fun”, na Union Square em Nova Iorque, onde as pessoas foram fotografadas e fotos bombadas já estão na rede, oficialmente no site Nylon Mag, clica!

Em busca de conteúdo


Faz tempo que se houve rumores sobre o lançamento do Apple Table, aquele gadget simpático parecido com o Iphone mas dedicado aos E-books e outras coisas.

Agora parece que a coisa sai. O Tablet tá quase chegando e a Apple estaria procurando os principais veículos de países como Austrália, Inglaterra, EUA e França para firmar parcerias com relação à produção de conteúdo para o aparelho.

Assim como fez com as gravadoras quando lançou o Ipod e as produtoras de aplicativo quando lançou o Iphone.

Mesmo sendo considerado o melhor dos e-books readers a ser lançado, o Tablet está travando uma guerra de territórios com as suas concorrentes, principalmente a Amazon, em busca de fornecedores de conteúdo amigável.

A Amazon com o seu Kindler já saiu na frente, mas será que o peso da Apple pode influenciar nesses lançamento?

"O Apple Tablet será pequeno o suficiente para carregar em uma bolsa, mas grande demais para caber no bolso". Alguém me diz onde eles quiseram chegar com isso?? Na dúvida é melhor comprar uma bolsa.

Vende-se espaço vago !!


Algo extremamente além do que podemos imaginar aconteceu na indústria da telefonia móvel!

A operadora de telefonia celular Claro lançará, em dezembro, um serviço que permitirá a seus usários receber publicidade em formato de imagem nos aparelhos celulares e serem PREMIADOS por isso.

A operadora ainda está avaliando como os consumidores serão recompensados, mas, de acordo com a diretora de serviços de valor agregado da Claro, Fiamma Zarife, os usuários receberão como prêmio: minutos, pacotes de mensagens de texto e bônus para navegar na internet.

O serviço será ativado toda vez que o assinante encerrar uma ligação. A publicidade será projetada na tela do aparelho, em formato full screen.

Será possível usar diversos formatos de interação com o usuário, como click-to-call (ainda muito restrito no Brasil), click-to-video e click-to-image.

Para receber as peças, os clientes da Claro terão de baixar um software em seus telefones, chamado My Screen, da empresa homônima.

Inicialmente, apenas usuários de aparelhos BlackBerry e aqueles com o sistema operacional Symbian (como modelos da marca Nokia, Samsung e SonyEricsson) poderão optar por ver os anúncios e vídeos comerciais.

Em janeiro, modelos com o sistema operacional Android e o iPhone também poderão receber o aplicativo.

De acordo com Fiamma, mais de 50% da base de 42,3 milhões de clientes da Claro já deram opt in para receber publicidade em seus aparelhos. Esse aceite é obtido de diversas formas: no ato da assinatura do contrato, por SMS ou por meio de formulários de pesquisa, por exemplo.

Tanto a operadora quanto a My Screen poderão vender o espaço publicitário diretamente para os anunciantes. A diretora da Claro diz que a desenvolvedora do software já está apresentando a oferta para diversas empresas e que a intenção é ter pelo menos um grande anunciante no lançamento do serviço.

Se alguém ainda não percebeu, o que está ocorrendo aqui é a venda de espaço publicitário no celular !!!

Pesquisas do New Normal 2009 do Portal LC:N apontaram que 24% das leitoras de revistas femininas migraram seu consumo desse tipo de conteúdo exclusivamente para os blogs e de 2006 para 2009 houve um aumento de 41% no número de consumidores de mídias móveis e isso tende a dobrar após a confirmação do .MOBI que já demos a dica aqui no blog.


Quanto tempo vai demorar pra termos as propagandas das Casas Bahia no Iphone ?!

10/27/2009

Mercado imobiliário e internet

Aproveitar melhor a web para divulgar lançamentos e outros produtos do segmento imobiliário faz parte da palestra que acontece em 19/11, na sede do Sindicato, com transmissão simultânea e on demand.

Aproveitar a facilidade e a rapidez de informações típicas da internet para realizar negócios pela web é uma prática cada vez utilizada por clientes do setor. Mas nem todos os empresários e profissionais do ramo estão atentos a essa tendência. O próximo Encontro Secovi-PQE, intitulado “Internet: o que todo mundo já está fazendo menos você?”, mostrará que as empresas precisam investir mais nessa poderosa ferramenta para alcançar o sucesso e indicará como elas podem aproveitar melhor todos os recursos disponíveis desse mecanismo para conquistar os clientes internautas. O evento acontece no dia 19/11, das 9h30 às 12 horas, na Rua Bacelar, 1.043 – Vila Clementino

“O setor imobiliário aproveita muito pouco os recursos da internet para divulgar sua produção, porém, apesar da baixa utilização, em uma pesquisa encomendada pelo Google, em 2008, os usuários lembraram, pelo menos, de algum anúncio relacionado a imóveis. É preciso aproveitar isso”, revela Marcela Ferreira, executiva do Google Brasil para o segmento imobiliário e palestrante da reunião. Outros dados do mesmo levantamento revelam que, dos 1,6 bilhões de usuários e 3,5 milhões de buscas por dia, 88% estão interessados em comprar apartamentos ou casas pela internet.

A palavra imóveis foi acessada mais de 5 milhões de vezes e mais de 1,9 milhão de internautas buscaram por apartamento. Em São Paulo, mais do que em classificados de jornais e revistas, a internet é o meio mais utilizado para buscar empreendimentos imobiliários. Um dos motivos é a disponibilidade de subsídios importantes para uma tomada de decisão, como textos explicativos, exibição de vídeos, fotos, músicas e outros detalhes importantes, como a localização e os serviços oferecidos no bairro do imóvel desejado.

“O custo do investimento é bem mais baixo do que em outras mídias e mais gente é atingida. Na web é possível encontrar os clientes que procuram seu produto, desde o momento da busca até a decisão de compra”, garante a executiva do Google. Após a pesquisa, o cliente pode tirar as dúvidas por e-mail, o que facilita a venda ou locação. A internet também pode ajudar nos pré-lançamentos, lançamentos e até na queima de estoque.

O empresário também pode divulgar seus produtos em sites patrocinados ou relacionados por meio de comunicação integrada, que oferece serviços que têm a ver com os imóveis divulgados. “Não há distinção de classe social na web e até quem procura produtos do programa Minha Casa, Minha Vida usa a internet”.

Informações pelos telefones (11) 5591-1304 a 1307 ou no site da Secovi.

ABTA estreia perfil institucional no Twitter

A partir deste mês de outubro, a ABTA conta com um perfil no Twitter para que todos os interessados possam acompanhar tudo o que está sendo discutido no setor de TV paga, quais ações estão sendo promovidas pela entidade, além de informações e novidades que possam impactar o assinante, associados, parceiros e integrantes da indústria como um todo. A redistribuição do espectro na faixa de 2,5GHz, objeto da Consulta Pública 31/2009 da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) concluída no último dia 16, é tema dos primeiros 'posts', que já estão no ar.

Sobre a ABTA

A ABTA é uma sociedade civil, de âmbito nacional, sem fins lucrativos, constituída por pessoas jurídicas, pessoas físicas e outras entidades de classe, com atividades relacionadas direta ou indiretamente com a prestação a assinantes de serviços de distribuição de sinais de vídeo e áudio. A ABTA tem como associados representantes das operadoras (empresas proprietárias e/ou operadoras de centrais de recepção, processamento, geração e distribuição do sinal aos assinantes); fornecedores de equipamentos e prestadores de serviços (que suprem equipamentos, material de instalação, acessórios, peças e materiais de manutenção e serviços correlatos); programadoras (que atuam na compra de programação externa, adaptação, produção e edição de programas).

Para mais informações acesse o site da ABTA.

Contatos para Imprensa:
S2 Comunicação IntegradaTwitter S2
PABX:
(11) 3027-0200 / Fax: (11) 3027-0222
Lívia Queiroz - livia@s2.com.br
Telefone: (11) 3027-0229
Letícia Ishiyama - leticia@s2.com.br
Telefone: (11) 3027-0268
Claudia Fuji - claudiam@s2.com.br
Telefone: (11) 3027-0207

10/26/2009

Entendendo o TweetOpinião !


Entender o que pensa sua audiência no Twitter pode ser a chave para se comunicar melhor no microblog. Se estivermos falando de uma empresa, essa compreensão pode resultar em estratégias de mercado mais bem formatadas ou um relacionamento mais próximo com potenciais consumidores, se estivermos falando de blogueiros, isso pode ajudar aumentar radicalmente a audiência.

Uma ferramenta criada pela E-life, empresa brasileira especializada na análise da comunicação boca-a-boca, busca justamente facilitar o monitoramento de tendências de comportamento no Twitter.

Trata-se de um aplicativo chamado TweetOpinião, que pode ser acessado gratuitamente pelos usuários do microblog. Ele permite que os internautas criem enquetes sobre qualquer assunto.

O aplicativo dá ao criador da enquete a opção de impedir que uma mesma pessoa vote diversas vezes numa mesma pesquisa, limitando os votos através do IP (Protocolo de Internet) de acesso à internet. O responsável também pode determinar o período da pesquisa.

"O TweetOpinião é um caminho para descobrir os desejos dos consumidores. No caso das empresas, os seguidores no microblog são sua base de pesquisa", afirma Alessandro Barbosa Lima, presidente da E-life. Segundo ele, o usuário pode tornar o aplicativo disponível em outros espaços de redes sociais, como blogs, orkuts, facebooks e quem sabe até aqui no MKTfocus, afinal as enquetes do Blogger são deprimentes.

O site do TweetOpinião permite ver enquetes criadas por diferentes usuários, assim como os comentários das pessoas a respeito das pesquisas realizadas. O serviço aponta quais são as questões mais populares e oferece buscas sobre o assunto. Todos os posts são direcionados para o Twitter, o que facilita o acompanhamento dos resultados.

Além da versão grátis disponível no site, a E-life comercializa um outro modelo, mais detalhado, voltado ao mercado corporativo. A agência que eu trabalho aderiu ao serviço e está testando o novo brinquedinho com dois clientes de peso, agora é só esperar para ver se as pesquisas oferecem resultados válidos.

As tendências para Interface na Web


No último dia do Seminário de Tendências e Inovação na Web do Senac-Rio o tema do era a última parte do tripé das tendências: o Design

Apesar de ser o lado mais negro das pesquisas por ser superamplo e com zilhões de vetores que podem gerar tendências, esperava-se FOCO e isso foi a única coisa que não teve. Cada palestrante deu seu tiro pra cima rezando pra não cair no pé.

Os aplicativos de Iphone, os novos modelos de loja virtual, a formação do domínio .mobi para aparelhos móveis e as inovações visuais em torno do uso das redes sociais foram alguns dos assuntos citados e pra mim duas coisas chamaram mais atenção que as outras: o .MOBI e o chamado Comércio Social.

Já existe um artigo rolando na net que pra mim é o melhor já feito sobre "comércio social" e eu é que não vou reinventar a roda, por isso recomendo lerem o texto do Conrado Adolpho que em Agosto já falou disso e citou tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Em relação ao novo domínio .MOBI, com a nova demanda de contéudo para dispositivos móveis, a extensão desse domínio é a primeira criada especificamente para endereçar sites criados para celulares e dispositivos móveis. Esta extensão de domínio marcará o crescimento do mercado de acesso à internet através de aparelhos celulares e similares.

A palestra da Voltage sobre assunto citou que a criação do .mobi recebeu apoio de gigantes do mercado de comunicação e internet como Ericsson, Google, Hutchison, Microsoft, Nokia, Telecom de Orascom, Samsung Electronics, T-Móvel, Telefónica Móviles, TIM, Vodafone etc. e tudo isso pra conseguir fazer o que a Microsoft fez com os computadores: Monopólio.

Você pode acessar o site www.google.mobi desenvolvido pelo Google para oferecer conteúdo para internet via celular. Todas as grandes empresas do mundo já estão garantindo seu domínio .mobi. Em pouco tempo o uso do .mobi se tornará um padrão mundial para sites criados com o objetivo de atender dispositivos móveis, já que será imprescindível registrar seu domínio .mobi

Atualmente existem mais de 2.5 bilhões celulares no mundo capazes de acessar a internet ou serviços de internet por wap. Só nos EUA está previsto um crescimento de 61% no número de pessoas acessando a internet através de celulares até 2010. Atualmente todos os novos modelos de celulares têm capacidade de acessar a internet e o número de usuários só tende a crescer.

As operadoras já estão oferecendo planos de acesso com baixo custo e a popularização do acesso por celular é uma certeza para o médio prazo e já é prometido interfaces muito melhores do que as razoáveis apresentadas hoje.

O projeto .mobi tem o apoio das 13 maiores empresas de comunicação, serviços e conteúdo para dispositivos móveis e celulares do mundo e o objetivo é tornar o .mobi uma extensão tão popular quanto o .com e o .net para sites criados para acesso em celulares.

O que ainda não foi esclarecido, e é a minha dúvida irritante do dia, é o termo Exclusivo que aparece nos textos sobre o assunto. Será que o .mobi poderá ser acessado somento em dispositivos móveis ou é uma extensão do .net??

Liberdade de expressão.


O Google criou hoje no YouTube um canal que defende a liberdade de expressão tanto na internet, quanto fora dela. Aproveitando a aproximação do dia 9 de novembro, data em que ocorreu a queda do muro de Berlim (1989), o canal Google Free Expression além de comemorar a fato histórico, quer promover o poder democrático na internet. Ação propícia para um cenário mutante na era da informação.

Já é passado: nos grandes veículos de comunicação que conhecemos, não só aqui do Brasil, mas no mundo inteiro, existiu a manipulação de informação. Por diversos fatores, sejam eles interesses políticos, governamentais ou organizacionais privados, nós leitores, estávamos a mercê de ler o que o mercado oferecia como “informação”. O que está mudando, já que conteúdo na internet é o que mais cresce a cada dia.

Eu não defendo nenhuma empresa, marca ou partido político que me agrade aqui no MKTfocus, faço questão de colocar aqui para todos os leitores, quais são as empresas que estão inovando e fazendo do nosso país uma nação mais digna de se viver e um mundo com mais oportunidades para todos. Sim, eu sou nacionalista, acredito no Brasil e em alguns gringos que investem na gente também.

“A maioria do que se lê por aí é duvidoso, mesmo o que sai nos grandes jornais.” Comenta Tiago Ferreira, jornalista. E é a mais pura verdade. Não que estejamos desprezando o trabalho dos grandes jornais e revistas de diversas editoras pelo mundo, com tantos profissionais de qualidade que possuem para nos dar as informações na medida certa, centralizada e focada nos nossos interesses mútuos. Mas, ao vivenciar e trabalhar com isso, sabemos muito bem qual é a influência política em muitas informações, seja do governo, empresas, organizações ou pessoas.

Um cenário que está mudando, de acordo com o comportamento dos leitores pelo mundo, que agora sabem peneirar a informação e quais são as fontes confiáveis para se ler uma notícia. Promessa de muitos blogs que estão aparecendo e brilhando na da web. Muitos blogueiros ganharam credibilidade na internet por falarem o que querem, sem preocupações e influências. São blogueiros que falam de moda, mercado, publicidade, política, saúde, economia, empregos, negócios, cultura, cotidiano, educação, esporte, tecnologia, etc. Alguma semelhança com cadernos de um jornal? Sim, porem com poucos investimentos para conteúdos de mais qualidade, com filmes, pesquisas, entrevistas e mega produções.

Posso afirmar que existe muito conteúdo de qualidade na blogosfera, profissionais conceituados e experientes que estão lançando informação na medida certa, informação que pode ir muito mais além do que o NYtimes ou uma Veja da vida. E a tendência está ficando cada vez mais clara para quem sabe peneirar um bom conteúdo na internet.

Imagens: Reprodução.

10/23/2009

O perfil dos blogs no mundo III


O segundo dia do Seminário de Tendências e Inovação em Web do Senac-Rio foi dedicado ao Comportamento Social-Antropológico. Grande parte dos palestrantes focou na geração net-friendly que surgiu no início dos anos 2000, trazendo hábitos como compras, acompanhamento de notícias, relacionamentos e empregos para a Web, mostrando as conseqüências culturais e respostas de mercado que essa geração foi responsável.

A última participação da Technorati no Seminário trouxe nessa sexta a parte final do estudo State of the blogosphere 2009 ratificando algo que era quase evidente, mas que merecia estudos mais profundos: O Twitter vem se tornando importante redirecionador de tráfego, ambiente de embarque para os blogs.

Na segundo participação no seminário dedicado a tendências e inovação na web, o State of Blogosphere mostrou que autores de blogs utilizam o Twitter mais do que a média da população internauta. Em grande parte, para promover seus blogs e entender melhor sobre o que de mais importante as pessoas estão discutindo. Resumindo, os blogueiros sabem usar os serviços do Twitter de forma melhor que os não-blogueiros.

Em alguns blogs com mais de 100 pageviews/dia, o serviço de microblog já é responsável, em média, por 83% desse tráfego, sendo que 52% dos autores de blogs postam no Twitter links para os seus posts como forma de atingir isso; as outras formas são tweet sobre o assunto e o re-teeting de outros usuários.

Política, tecnologia, celebridades e negócios estão entre as áreas que mais sofreram influência dos blogs. As tendências apontadas pelo report mostram que daqui a 10 anos (tendência de longo prazo) os blogs terão um impacto ainda maior nessas áreas. Alguns sinais mostram que a dinâmica e volatidade desses segmentos são a causa desse fator, tornando os blogs, veículos mais propícios para divulgação do que revistas e jornais especializados.

O estudo terminou de forma otimista, afirmando que os blogs caminham para globalizar a liberdade de expressão, abrindo caminho para uma sociedade mais tolerante e democrática, sendo apontado como os pioneiros do chamado Self-made News: situações em que os próprios leitores se tornam criadores de notícias também, tornando o processamento de notícias uma via de mão-dupla.

Resumindo e mastigando o que foi mostrado pelo State, pode-se concluir:

* O uso de blogs se estacionou em uma faixa etária e certo nível educacional. A maioria é homem, nível superior, entre 18 e 44 anos.
* O custo é o principal motivador na escolha de uma plataforma de blog. Mas como a maioria delas é gratuita, acredito que a questão de recursos e customização passa a pesar bem mais na escolha.
* Blogs estão bem mais ligados a uma economia não-monetária do que monetária. Estão mais relacionados à construção de reputação do que a “fazer dinheiro” de fato. Reputação e atenção são “quase moedas” entre os blogs. Isso explica em parte por que a maioria ganha dinheiro indiretamente com o serviço de blogging.
* Dos que tentam ter renda (monetária) com os seus blogs, uma parte está fugindo do Adsense e experimentando outras formas de receita, novas redes de anunciantes e/ou utilizar o blog como isca para vender serviços pagos, como palestras, consultorias e freelas.
* O uso de dispositivos móveis para atualizar blogs é crescente.
* Os chamados sponsoring posts são as formas mais atuais de conseguir receita e ganhos diretos com o serviço de blogging. Apesar do serviço ser proíbido em alguns países.
*O Twitter e a popularização das plataformas de redes sociais têm efeito sim nos blogs, seja na forma de redirecionar tráfego para os blogs ou de roubar a atenção e o tempo deles (certo perfil está blogando menos, entre outros motivos por causa do Twitter).

Pra finalizar a saga dos posts sobre o Perfil do blogs, deixo aqui uma excelente matéria completa apresentada pelo Jornal da Globo ontem à noite sobre "Os sites de relacionamento como fonte de renda". Ideal para mostrar a realidade de todas as informações apresentadas pela Technorati no evento.

Amanhã é o último dia do Seminário dedicado ao terceiro componente do tripé das tendências: O Design. Mesmo sendo um assunto amplo e com inúmeras vertentes de influência, é esperado que o foco seja nas inovações em layout e interfaces para melhorar o relacionamento das pessoas com a tecnologia. As palestras do Iphone Apps e das Lojas Virtuais são as mais esperadas, mas isso é assunto só para amanhã.

Fernando Dantas direto do Rio de Janeiro.

O vício do Search Overload




Durante a participação da Wingman_ de Portugal no Seminário do Senac-Rio, um termo semelhante ao quase sinônimo, “overload informativo“, surgir para aumentar o meu acervo de termos do comportamento do consumidor virtual. O “search overload” refere-se a quando, ao fazer uma pesquisa, você recebe uma quantidade enorme de resultados irrelevantes, sites e links que não têm nada a ver com o que você estava procurando e que te levam a mais resultados menos irrelavantes ainda, tornando a pesquisa beirando o inútil.

A intenção da Microsoft com a campanha do novo Bing era gerar um certo questionamento e mudança de atitude, fazer com que as pessoas trocassem o sistema de busca da Yahoo! ou do Google pelo Bing, da Microsoft, que não proporcionaria esse tal de “search overload” já costumeiro nos dois outros sistemas.

A mudança poderia acontecer sem custos para o usuário. Afinal de contas, a curva de aprendizado seria mínima, somente seria necessário digitar www.bing.com ao invés de www.google.com no navegador, duas letras a menos só.

Porém, nesse um mês de vida oficial do novo sistema, a tarefa se tornou bem difícil para a Microsoft. Pesquisas mostram um cenário em que grande parte dos usuários está satisfeita, quer dizer, acostumada com os atuais mecanismos de buscas. Pesquisas realizadas com usuários alpha e depois em grande escala com outros usuários da web na Europa, mostraram que 22% dos entrevistados usavam o sistema Google de busca para acessar sites que eles já conheciam, apenas com o intuito de não se preocupar com endereços exatos e URL.

A mesma pesquisa mostrou que mais de 50% dos usuários entrevistados acredita que essa certa abrangência (um nome bonito pra esconder um grande erro) ajuda a encontrar coisas que não estavam procurando porque não sabiam o que procurar. Os famosos unknown-unknown.

Com dados desse nível, vai ficar difícil pra Microsoft mobilizar os usuário em direção ao Bing, porque o Search Overload deixou de ser um problema da web para se tornar um vício dos usuários no mundo todo.

No vídeo abaixo, um dos comerciais do novato Bing, da Microsoft, que aqui, no Brasil, ainda não está com os seus recursos completos. Microsoft mostrando ao que veio.


E aí, você também sofre da Síndrome de Search Overload??

Novos filmes da série "Mac x PC"

Criados pela TBWA\Media Arts Lab para Apple. Os comerciais "Broken Promises", "Teeter Tottering" e "PC News" ironizam o novo Windows 7, da Microsoft, lançado mundialmente nesta quinta-feira, 22.


Confira Broken Promises legendado:


10/22/2009

No final, foi Encontrinho de Gigantes


O encontro de gigantes tão esperado dessa semana que tinha tudo pra ser Guerra do Iraque, acabou sendo Reunião da ONU.

O que chamou a atenção no acordo que o Twitter fechou simultâneamente com a Google e a Microsoft nesta quarta-feira é que as três empresas acabaram optando pelo caminho da parceria e não da aquisição.

Com o acordo, mensagens do Twitter aparecerão em tempo real (assim que forem publicadas) nos resultados das buscas feitas no Bing, da Microsoft/Yahoo, e no Google. Nesta quarta-feira, a empresa de busca não apresentou nenhum produto ou modificação resultante da parceria, a Microsoft, por sua vez, colocou no ar a integração entre o Bing e o Twitter.

Os resultados não aparecem na busca padrão, mas em uma url separada (www.bing.com/twitter), que já elimina meu medo das minhas buscas serem tomadas por tweets. Por enquanto, o serviço está disponível apenas para usuários localizados nos EUA, mas é possível testá-la mudando a localização para EUA no menu, no topo à direita no Bing.

A Google aproveitou a atenção da mídia para anunciar também que vai lançar o SocialSearch. O produto não foi muito bem explicado, mas agregará conteúdo de diversas redes sociais em um único lugar. O que me parece, será permitido fazer buscas nesse tipo de conteúdo, bem parecido ao Friendfeed. Ou seja, lifeSTREAM tomando conta da web mais uma vez.

Sou só eu, ou vocês também perceberam sinais de uma Holding se formando?


O perfil dos blogs no mundo II


Cai a porcentagem de blogs que utilizam Adsense.

Acabou o primeiro dia do Seminário de Pesquisa de tendências e inovação em web do Senac-Rio, o tema do dia era Tecnologia, um dos componentes do tripé da indústria das tendências.

O dia foi praticamente dominado pela Internet e Mobile-tech e algumas coisas sobre Inteligência Artificial e Banco de dados. A apresentação mais esperada por mim era o State of Blogosphere com o representante da Technorati. Na 2ª e penúltima parte do estudo foram abordadas questões como fontes de receita e marcas nos blogs.

Desses que têm renda, a maioria a obtém via publicidade e programas de afiliados. Outros utilizam o blog (gratuito) como isca e vitrine para vender outros serviços (pagos), como palestras, consultorias, além de freelas na mídia impressa no melhor estilo cross-seeding.

Uma minoria recebe salários, mas são ligados a empresas ou agências, porém, o número de pessoas que tentam obter receita com o seu blog vem aumentando. Em relação a 2008, houve um aumento de 68% no número dos que colocaram “tags de publicidade” em seus blogs e inseriram os seus sites em redes de anúncios (estilo Google Adsense).

Contudo, houve uma queda de 20% no uso da rede da Google, sinal de que os autores de blogs estão experimentando outras redes de anúncios, o que pra mim já estava mais do que na hora. Em 2008, a Google era responsável por 67% das “tags de publicidade” inseridas nos blogs, já neste ano, essa porcentagem caiu para 47%.

Para os “blogueiros corporativos”, que editam o blog oficial de uma empresa, o principal benefício do uso da ferramenta é a visibilidade maior que a empresa recebe, sendo que para as suas carreiras profissionais ajudou a torná-los mais conhecidos em sua área profissional.

Enfim, tirando o fato de que mais blogs estão participando de redes de anunciantes e da queda do uso do Adsense, em relação ao ano passado, não há muitas novidades do que já ocorreu, a parte interessante é a tendência que já se percebe para os próximos anos. Já existem sinais que modalidades de relações públicas e mídia espontânea que são amplamente utilizadas nos veículos impressos, estejam dando bons resultados nos veículos online, principalmente os blogs.

Muitos blogs e sites são pagos para criar posts sobre marcas, empresas, pessoas e lançamentos para criar Buzz na internet e alguns portais exclusivos também já foram criados a partir disso. A idéia é inserir as marcas dentro do consumo cultural e cotidiano dos internautas e com isso tornar as "propagandas" em assuntos sujeitos a comentários, re-bloggings, fóruns de discussão e tweets.

Algumas pesquisas na gringa apontadas pela Technorati mostraram bons resultados do serviço e a médio prazo, se espera resultados ainda melhores do que o mesmo serviço em mídias mais convencionais como revistas e programas de tevê.

Sexta-feira, o State of Blogosphere volta ao evento mas com outro enfoque, já que o segundo dia do seminário é apoiado por outro componente do tripé das tendências: O Comportamento social-antropológico. O report da Technorati irá lançar a última parte da pesquisa, focando o tema em impacto político do uso dos blogs e a intervenção das redes sociais neles. O buzz ficará por conta, claro, do Twitter.

Fernando Dantas direto do Rio de Janeiro.

Recicle Jeans !

A Levi’s volta com a promoção para reciclagem dos jeans nas gringas e paga $ 50 por um jeans original em bom estado e $ 100 por um Jeans com brand original da Levi’s. A promoção tem como objetivo incentivar a doação de jeans velhos.

Chega de cartel na telefonia fixa !

Não é novidade para ninguém que nós, brasileiros comunicativos adoramos telefonar. Seja fixo ou celular, somos consumidores em potencial para empresas do mercado interno e externo também.

Marcas odiadas por muitos em telefonia fixa, seja pela falta de estrutura para atender a demanda, ou pela falta de opções, no Brasil, temos exemplos das que lideram em reclamações em grandes metrópoles como Rio de Janeiro e São Paulo: OI e Telefonica. Pois elas que se preparem!

O que eu idolatro entre os serviços oferecidos no mercado brasileiro, é o leque de opções para os consumidores, fazendo com que as empresas inovem em seus produtos e serviços, tornem seus preços competitivos, e claro, resultam em benefícios para o cliente.

A TelComp, Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas, ressalta que a compra da GVT pela Vivendi, empresa francesa de grande porte, com receitas anuais de US$ 37 bilhões e ampla experiência em banda larga, celular e TV paga, pode agitar os mercados convergentes das telecomunicações no Brasil.

De acordo com Luis Cuza, presidente-executivo da entidade, "não há como negar que a chegada da Vivendi ao Brasil a partir da compra da GVT, uma empresa de sucesso, com ofertas de serviços inovadores, de alta qualidade e com preços acessíveis, traria desconforto para a Telefônica e a Oi. Seguramente, estas empresas teriam que começar a se preocupar com a qualidade e preços de seus serviços em muitos outros mercados, já que a Vivendi teria suficiente fôlego financeiro para contestar a posição dominante delas."

Na visão da associação, a oferta hostil feita pela Telefônica para compra da GVT foi a maneira encontrada pela operadora de defender sua posição de domínio nos mercados em que atua, especialmente porque a operadora vem sendo muito cobrada pelo alto custo e pela baixa qualidade de seus serviços. "Mais do que nunca a entrada de um operador forte, com ofertas atrativas ao consumidor, tem alta probabilidade de abocanhar clientes da Telefônica", destaca Cuza.

Agora é esperar pra ver, ou melhor: esperar para poder falar mais por menos e ser melhor atendido quando a sua banda larga cair junto com a da cidade inteira.

10/20/2009

Reserva 51. Ação de relacionamento.

A Cia. Müller de Bebidas lança Reserva 51, a cachaça Premium que marca aniversário de 50 anos da empresa e faz ação de relacionamento presenteando apreciadores com uma garrafa personalizada em um quadro dourado, que dá mais valor ao produto e mostra a diferenciação da famosa cachaça 51 conhecida por muitos brasileiros.

A criação da ação de relacionamento foi da Agência de Eventos, dirigida por Marina Renaut. Conversei com ela, onde revelou que os presenteados foram escolhidos a dedo para receber a garrafa personalizada.

Ao receber a obra-prima, os contemplados foram convidados a entrar no hotsite da Reserva51 e escolher uma pessoa para enviar como presente uma amostra com um bilhete personalizado, escrito por ela mesma.

A bebida, envelhecida em barris de carvalho, é dedicada a um público mais seleto e com paladar mais exigente. Classificada como Cachaça Extra Premium, a produção da Reserva 51 tem tiragem limitada de 15 mil garrafas por mês, número pequeno se comparado com a tradicional 51, que mensalmente produz cerca de 1,5 milhão de unidades. A Reserva 51 é feita sob rigoroso controle de processos em todas as etapas: preparo do solo, corte da cana de açúcar, moagem, fermentação, envelhecimento e engarrafamento.

Com garrafa desenvolvida e produzida pela empresa francesa Saverglass, a Reserva 51 também tem tampa exclusiva produzida pela Tapi, da Itália, rótulo impresso em papel reciclado com design envelhecido e embalagem exclusiva.

A vencedora da promoção “descubra a ação” foi a Jéssika Yuri, profunda conhecedora que seguiu as dicas espertas pelo nosso twitter MKTfocus e levou como presente uma garrafa da Reserva 51 com o quadro personalizado desenvolvido pela agência de eventos. Parabéns Jéssika !