6/28/2007

Premio Top of Mind Internet


A pesquisa realizada pela Datafolha ouviu 2091 pessoas com 14 anos ou mais que acessam a internet, em casa, pelo menos quatro vezes por semana. Em cada categoria, foi perguntado aos participantes qual marca vem em primeiro lugar à sua mente. O resultado do premio Top of mind Internet já era esperado.

Na categoria material esportivo a Nike liderou com 19% nas lembranças dos consumidores, sendo uma marca de puro status, que também agrega qualidade no produto, como sempre.
Quando se fala em Automóvel, a Volkswagen ficou com 19% seguida da Fiat com 18%. Seria o Gol um carro inesquecível?Bancos?
ah sim... o mercado oligopolista, a elite do país claro. Os participantes lembraram de suas dívidas, o quanto pagam de juros, de suas faturas assustadoras, o quanto são sugados todos os meses... Lembraram do Itaú 27% e o Bradesco 25%.
Cartão de Crédito: A visa é a mais lembrada em 38% dos entrevistados.
Cerveja. Desce redondo no país inteiro, a Skol ficou com 37%, já em São Paulo, os consumidores que levam uma rotina estressante, preferem é refrescar o pensamento.. Brahma fica a frente com 30%.
Na categoria "Caos aéreo", a Gol passou a Tam em lembrança de marca, liderando em 42%, graças a idéia de fornecer passagens com valores reduzidos aos consumidores. E o diretor Richard Freeman ainda promete novas campanhas para a companhia.
Absoluta. A LG ganha desesperadamente nas recordações em Aparelho de DVD, Aparelho de TV, Computadores e acessórios.
Para a comodidade de comprar um produto sem sair de casa, no e-comerce o Submarino fica com 17%, Americanas 16% e Mercado Livre 11%.
Falar em preferência por Eletronico e câmera digital, click ! é falar Sony, com 25%, contra 6% do segundo lugar, a Samsung. Uma diferença gritante!
Quando uma pessoa está doente, geralmente não pensa pela farmácia que irá pedir o remédio, mas sim pelo laboratório de fabricação, mesmo assim a Ultrafarma ficou com 9% dos resultados pelos serviços de entrega realizados pela internet.
Lanchonete? Amarelo e Vermelho com 40% contra o segundo lugar, HABIB'S COM 4% !!! Isso é viciante...
Graças a revistinhas, catálogos, modelos perfeitas nas campanhas publicitárias, De Millus liderou com 11% na categoria Lingerie.
Empresa brasileira Liderando no quesito produto de beleza, Natura 13% contra 10% da Avon.
Põe Pra Gelar... Brastemp ficou em 32% da memória dos entrevistados contra 14% da Consul.
Desentupidor de Pia. Coca-cola 64% contra Guaraná Antarctica 6%.
Aparelho de celular... entre diversos modelos e marcas, a Motorola ficou em 29% contra 23% da Nokia.
Quando se fala em operadora, você deve pensar em qualidade, preço e promoções, são as caracteríticas básicas para a preferência do cliente pela marca, assim somadas a Vivo ficou em 27%, seguida da Claro e da Tim empatadas com 19%.
Tv Fechada. se a preferencia DE tv por assinatura é SKAVUSKA, é NET, com 39% contra sky 17%.

Essas são as marcas que hoje dominam o mercado onde cada uma atua. Algumas ficam com uma diferença muito pequena, sendo uma concorrência mútua entre as empresas, na qual são as que utilizam da publicidade massante para com os consumidores. Daí que saem os comerciais mais criativos que vemos a cada dia.O levantamento foi realizado entre os dias 5 e 7 de março de 2007, e foram ouvidos usuários de internet das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Brasília.

Fonte Datafolha.

6/26/2007




No Festival Cannes 2007, o Brasil acaba fechando com 30 posições, 20 de bronze, 4 de prata e 6 de Ouro. Um pouco melhor do que no ano passado que fechou com 28.

Com dois Leões de bronze neste ano, o Brasil se superou na competição film. Santa Clara e Hungry Man Rio foram premiados com o "Na vida dos Homens" feito direto para o Discovery Channel.

6/22/2007

Starbucks da Mãe Natureza



Os consumidores mais adeptos do pós-materialismo que querem começar o seu dia de uma forma ecologicamente correta, já podem ir atrás de encher suas poderosas canecas com o Solar Roast Coffee, ou o Café Torrado do Sol - um café super fresco que é torrado utilizando luz solar abundante e não queimado como os tradicionais.
Vindo originalmente de Pueblo, Colorado (USA), o Solar Roast Coffee é produzido apenas com café 100% organic. A técnica de torrar com a luz solar promove o menor impacto no meio ambiente possível nessa indústria. E não estamos falando de uma simples torração por painéis solares, o Helios 2.0 torrador solar captura raios de sol diretamente sobre placas metálicas onde são colocados os grãos. O torrado é capaz de alcançar temperaturas maiores que 550 °F e mantêm o aquecimento ao longo do dia, como uma baterria carregada.
Nenhum tipo de combustível fóssil ou energia elétrica são necessários para girar os motores e ventiladores,e por isso, qual o resultado ? O café que a Mãe-Natureza tomaria todas as manhãs !! e os criadores do projeto garantem que será um hit entre os consumidores.
A primeira cafeteria de Solar Roast Coffee foi aberto em Pueblo no começo desse ano e a empresa já tem planos para abrir mais cafés no Velho Oeste americano e também uma loja online com vendas mundiais. O café não é barato, afinal está incluso o preço dessa produção "verde", o quilo do café sai em média 12 dólares. Enquanto as cafeterias e os as máquinas torradoras não criam nada novo, essa nova forma de produzir café fresco via Energia Solar é o o hype dos consumidores e produtores Eco-Friendly. Elemento-Chave ? NADA DE POLUENTES !! A torração livre de tóxicos e carbono é um ótimo assunto pra dividir com seus amigos.
Em breve mais uma cidade ensolarada receberá uma filial da empresa: Perth, Barcelona, Los Angeles, Sydney, Rio, ...?

QUE TAL TOMAR UM CAFÉ COM APROVAÇÃO DA MÃE NATUREZA ??

website: www.solarroast.com

6/21/2007

Brindes de Agrado


A cada dia a tecnologia impressiona mais os consumidores que procuram por novidades no mercado tecnológico. Hoje muitas pessoas no Brasil, principalmente nas grandes regiões metropolitanas, utilizam MP3, MP4, Ipod, e Pen Drives. Ainda não superam taxas de utilização como a população dos EUA e da Europa.. que já faz parte da vida das pessoas de lá. Mais tanto para ouvir suas musicas compactadas, quanto para carregar arquivos como fotos, vídeos, trabalhos escolares e profissionais, esses produtos entraram para o cotidiano de quem quer praticidade e qualidade aqui no País também.
Na foto, se encontram produtos do segmento das marcas: Apple, Oregon, Sony, Philips, Samsung, Pata Traveler e Sansa Shaker.
O que mais me chamou atenção, foram os pen drives da MimoBot (http://lab.mimoco.com/) que são totalmente customizados com desenhos, desings inovadores, personagens de filmes e expressões faciais, que fazem sucesso já nos outros países... Os consumidores já pensam mais na "carcaça" dos pendrives do que o quanto de memória ele possui para amarzenar as informações necessárias.
Isso mostra que a inovação, em um mesmo segmento de produto, onde existem diversas marcas fabricantes, pode revolucionar e virar moda; É o diferencial, para atrair um numero maior de consumidores, interessados em produtos que estão na moda, em um segmento onde existem muitas empresas, muitos modelos, de variados preços para a demanda de mercado.
Vale ressaltar também, que empresas como a TAM e a Bunge por exemplo, já estão dando como brindes aos seus clientes, Pendrives com o logo da empresa; pode ser uma estratégia de publicidade da marca, ou mesmo presentear o cliente com um brinde de qualidade, ou seria essa uma forma de "agrado" (no caso da TAM), para aqueles consumidores que ficam horas na fila de espera para o check-in?
Não sei... mais o disquete eu não uso mais..





Pendrive de uso pessoal...




6/18/2007

Unibanco estréia agência no Second Life Brasil




O Unibanco inaugurou nesta segunda-feira, dia 11, uma agência virtual dentro do Second Life Brasil. Instalada na Ilha São Paulo Jardins, a agência contará com avatares atendentes que irão recepcionar usuários. A idéia, segundo o diretor de comunicação Marcos Caetano, é capitalizar sobre a projeção institucional da marca dentro do metaverso do game.

Nesse sentido, a ação do Unibanco peca por não acrescentar nada novo em termos de proposta de valor para os usuários do SL, já que os usuários só poderão receber informações sobre o banco e seus serviços, além de visualizar vídeos promocionais do Unibanco dentro do ambiente da agência.

A utilização do marketing de guerrilha, o marketing que atua fora da sua area tradicional, em lugares diferenciados e se utiliza principalmente do boca-a-boca das pessoas é a uma das melhores formas de fazer propaganda institucional, divulgar novos produtos e alcançar consumidores que não seriam atraídos pela mídia tradicional, como o Second Life se propõe a ser algo muito próximo do real, nada mais real do que o mercado financeiro batendo na sua porta todo dia !! Já ouvi falar que até desfile do SPFW vai ser realizado nesse programa...Será que teremos um Avatar SuperModel ?

UNIBANCO, NEM PARECE BANCO !! SERÁ MESMO ?!!

6/17/2007

Nessa Cultura, os bancos não lucram



O economista indiano Muhammad Yunus (foto acima) ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2006 por conceder empréstimos à população da incrivelmente pobre zona rural de Bangladesh. Por meio do Grameen Bank, instituição que fundou há três décadas, Yunus já emprestou o equivalente a 5,7 bilhões de dólares para 6,6 milhões de pessoas. O baixíssimo índice de calote de seu banco transformou Bangladesh numa espécie de Shangri-lá do financiamento -- e popularizou uma idéia que, embora sem fundamentos econômicos muito sólidos, disseminou-se rapidamente pelo mundo das finanças: o mito do pobre bom pagador. De acordo com os defensores dessa tese, quanto menor a renda do devedor, maior é sua urgência moral de não sujar o nome na praça. E, por isso, ele faria um esforço sobrenatural para pagar em dia. A beleza da tese é indiscutível. Na prática, porém, os bancos brasileiros estão descobrindo uma realidade bastante diferente. Nos últimos anos, as maiores instituições financeiras do país decidiram investir agressivamente na conquista da população de baixa renda. E os resultados obtidos até hoje permitem chegar a uma conclusão: emprestar a essa parcela do mercado é uma tarefa muito mais complexa do que o exemplo de Yunus pode fazer supor. "A verdade é que o pobre paga primeiro a venda da esquina, depois a farmácia e o amigo", diz Odair Rebelato, diretor executivo do Bradesco. "Só depois ele paga o que deve para o banco."
Com a estabilidade econômica da última década e as perspectivas de uma menor taxa básica de juro, os bancões foram forçados a aumentar sua carteira de empréstimos e a paparicar os clientes mais rentáveis. Esse movimento se deu basicamente em duas direções. Primeiro, todos desenvolveram áreas exclusivas para os correntistas de alta renda. Bradesco Prime, Itaú Personnalité e Uniclass são algumas das marcas criadas para conquistar e manter essa clientela, oferecendo mimos como tarifas menores e gerentes exclusivos. Esse é, porém, um jogo de rouba-monte, em que cada banco luta para pegar clientes do outro. As grandes perspectivas de crescimento estavam na segunda frente de ataque, a baixa renda, até então praticamente ignorada pelos grandes bancos. Em 2002, o Bradesco comprou a financeira Finasa e arrematou, dois anos depois, a Zogbi. O HSBC adquiriu a Losango em 2003. No ano seguinte, o Itaú decidiu criar a Taií, sua financeira. Todas essas apostas foram feitas num cenário de grande otimismo. Nos primeiros anos do governo Lula, a renda na classe C subia, o que gerou uma explosão no crédito. Hoje, percebe-se o exagero desse otimismo todo. O índice de calotes atingiu patamares insuportáveis, muito superiores aos previstos nos planos que justificaram os investimentos. Segundo um levantamento da consultoria Accenture, em janeiro de 2005, 10% da carteira total do sistema financeiro estava com atrasos acima de 90 dias. Em janeiro de 2007, o índice tinha subido para 15%.


O desafio da baixa renda
Por que os bancos estão enfrentando dificuldades para lucrar nesse segmento
1 - Mercado competitivoÉ possível encontrar até dez lojas de financeiras diferentes em uma mesma rua, e a concorrência força os bancos a baixar os juros, reduzindo a rentabilidade
2 - Excesso de ousadiaPara crescer, os bancos emprestam para clientes de maior risco, que não têm como dar garantias de pagamento. O resultado é o aumento da inadimplência
3 - Impacto do crédito consignadoA expansão do consignado, que permite o desconto dos empréstimos direto do salário, aumenta os calotes em outros tipos de empréstimo
4 - A renda não cresceuA renda da população não cresceu na mesma proporção que a expansão do crédito. O excesso de dívidas e a falta de dinheiro aumentaram, de novo, a inadimplência


BASTA VISITAR OS GRANDES centros urbanos, como a região da 25 de Março, a mais popular rua de São Paulo, para entender a origem dos maus resultados. A concorrência entre os bancos é brutal. Em algumas ruas, é possível ver dez financeiras lado a lado. E, para garantir participação de mercado, os bancos tornaram-se menos criteriosos na hora de emprestar. Assim como no modelo criado por Muhammad Yunus, portanto, as financeiras dos bancos vinham concedendo empréstimos ao cliente de baixa renda sem exigir garantia alguma. Bastava a apresentação da identidade e do comprovante de residência para que os recursos fossem liberados. O que se viu em seguida foi o que alguns especialistas apelidaram de farra do crédito.
As conseqüências foram espetaculares para os bancos que saíram na frente nesse segmento, como BMG, Banco do Brasil e BMC. Foram, por outro lado, nefastas para as financeiras. O consignado atraiu os bons pagadores e deixou para as financeiras os clientes de maior risco, que oferecem menos garantias.
A mudança no cenário forçou os bancos a transformar sua estratégia. Tome-se o exemplo da financeira Taií, do Itaú. Seus executivos previam chegar a 2007 com 1 105 lojas, mas a alta da inadimplência fez com que o banco colocasse o pé no freio. O número de lojas não passou de 853. Oficialmente, o Itaú informa que as taxas de expansão seguem de acordo com os planos iniciais e que os prejuízos vão acabar no fim do ano. "O mercado de crédito pessoal tem um risco de crédito maior", diz Silvio de Carvalho, diretor da controladoria do banco. A taxa de inadimplência na Taií chegou a 15,8% no primeiro trimestre do ano, enquanto o mesmo índice no grupo Itaú foi 5,2%.
Além das mudanças na estratégia, os bancos estão revisando seus modelos de financiamento. O Bradesco impôs limites para empréstimos a clientes que já estejam com 30% da renda comprometida com outros financiamentos. O banco Panamericano passou a exigir comprovação de renda e vínculo empregatício de pelo menos um ano. O Unibanco decidiu concentrar seus esforços no financiamento a clientes que já têm histórico positivo na instituição. "Antes, para cada 100 pedidos de crédito, liberávamos 45. Hoje, aprovamos apenas dez", diz Raphael Carvalho, diretor da Fininvest, financeira do Unibanco. Apesar das dificuldades, não há indícios de que os grandes estejam desistindo de conquistar a baixa renda.


Com essa grande disponibilidade de credito no mercado, em um momento a demanda aumenta, pois a população possui dinheiro (emprestado) para consumir o que bem entende. Porem, chega a um certo ponto onde as pessoas não podem mais comprar, pois já estão com a dívida no banco (que sobe a cada dia) ou estão com o nome "na lista negra", e os seus carnês daquelas lojas que tem "dedicação total á você" dentro das gavetas; o que faz desacelerar a economia no país, assim os bancos acham que vão lucrar mais rápido, porem, acabam stagnando a economia do país e ficam sem receber a quantidade de dinheiro emprestada.


Ou seja, atrasa a economia, e ninguem sai ganhando nessa. o País só perde por culpa da Elite de novamente.. Fazer o que? é o nosso Brasil.
Por Denise Carvalho e Daniella Camargos
fonte: mercadocompetitivo

6/15/2007

Pra que estágio?

Lei pode limitar número de estagiários
Mudança afetará meio milhão de estudantes em todo o Brasil

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados promoveu uma Audiência Pública onde debate Projeto de Lei 993/2007 que dispõe alterações profundas no estágio para nível médio, médio técnico e superior afetando quase um milhão de estudantes em todo o Brasil. O projeto de lei enviado ao Congresso pelo Governo vai limitar o número de estagiários em 10% do número de funcionários.
Para as pequenas e médias empresas, como escritórios de advocacia, consultorias diversas e outros, responsáveis pela maioria da contratação de estagiários, será um impacto negativo em custos, já para os estudantes a perda da melhor porta de entrada no mercado de trabalho. "Acreditamos que faltou sensibilidade do Governo ao limitar a contratação exatamente para quem mais precisa e mais emprega no Brasil", explica Carlos Henrique Mencaci, presidente da Abres (Associação Brasileira de Estágios).
Segundo Carlos Henrique, a empresa com oito funcionários pode, atualmente, ter quatro ou cinco estagiários. Caso o projeto de lei do governo seja aprovado, ela não poderá ter estagiários. Todos serão dispensados. O presidente da Abres comparecerá na audiência pública que vai discutir os termos da lei para tentar sensibilizar os deputados sobre o impacto negativo dessa legislação. Os representantes do Governo somente convidaram representantes dos ministérios do trabalho, educação, a procuradoria geral do trabalho e os presidentes da UNE e Ubes. Além disso, pediram regime de urgência na votação, impedindo uma discussão ampla do tema.

http://www.abres.org.br/v01

6/04/2007

O poder do pornô

Wagner Martins, mais conhecido como o Mr Manson do Cocada Boa, sempre diz “brincando” que para se ter certeza que seu vídeo viral irá mesmo se espalhar pela internet, basta exibir “uns peitinhos”. Há muitos anos no posto de uma das maiores celebridades da internet brasileira, e responsável por vários cases com seus boatos, ele sabe o que diz.




O vídeo acima pode ser visto como um excelente viral da Good Magazine ou mesmo da “menina” que cede seu corpo para melhor exposição de dados e divulga sua URL visitada 3.412 vezes por dia. Não sei a origem das informaçõe, mas vamos lá:

- 12% dos sites existentes são de pornografia.

- 25% das buscas são de pronografia

- a palavra mais buscada é sexo

- 35% dos downloads são de natureza pornográfica

- a cada segundo 28.258 pessoas assistem pornografia pela internet.

- o lucro gerado pelo pornô na internet americana em 2006 foi de 2,84 bilhões de dólares.

- 72% dos aficionados em pornografia são homens.

- 70% dos acessos a conteúdos pornôs são durante o horário comercial.

- são estimados 372 milhões de sites pornôs

- a cada segundo 89 dólares são gastos em pornografia pela internet.

- a cada dia surgem 266 novos sites pornôs

Tem mais alguns dados no vídeo. O interessante é que muitos precipitados dirão: “a internet só tem pornografia!”. Esquecem-se que tudo isso sempre existiu, e, mais ainda, a internet é apenas uma maravilhosa ferramenta que conecta pessoas. Quem produz e distribui conteúdos somos nós. Mais ainda: quem vende e compra produtos também somos nós.

E aí está o mais interessante da produção e distribuição de conteúdo na internet, e do poder de segmentação dentro do que se convencionou chamar de Cauda Longa. Seja qual for a sua área de interesse, será muito difícil, quase impossível, você não encontrar conteúdo sobre o tema que deseja, seja em sites, blogs ou foruns. Você vai encontrar. E essa é a sua internet. A que você encontra o que busca, que você interage com quem tem afinidade.

Créditos a revista PIX e ao blog Fundamental Conteúdo.