8/27/2009

E AGORA, O QUE FAZER?


Recentemente recebi um email com uma vaga de emprego em uma multinacional americana com mais de 800.000 colaboradores em todo mundo. A vaga parecia perfeita: muitos "mil" reais em salário, benefícios, participação de lucros, plano de carreira e bônus de incentivo em dólares !!

Aí chegou a parte tensa. Qual seriam os pré-requisitos para essa vaga??

A resposta era simples...Responder uma frase !

POR QUAL SONHO VOCÊ LARGARIA A SUA VAGA NA NOSSA EMPRESA?

E aí parece fácil ainda? Mostrar para empresa um bom motivo pra você sair dela e claro, sair dela com respaldo de todos os 800.000 funcionários.

O que acham da proposta? Estranha ou sensata? Enviem suas resposta.

8/22/2009

LEGÍTIMA ALFAIATARIA INGLESA


Quando vejo algum material publicitário ou anúncio que seja de qualquer tipo ou meio veiculado e esses conseguem chamar a minha atenção, é com um olhar crítico que paro e interpreto o conteúdo, a qualidade da imagem e da mensagem. Entre tantas criações de materiais, onde muitos são dados como obras de arte na história da publicidade e na comunicação, sejam de departamentos de marketing, agências de publicidade e afins, na hora da criação de um desses materiais, eu particularmente adoro (e idolatro) aqueles que utilizam os arquétipos emocionais, cada vez mais colocando no material a necessidade do ser humano de acordo com a cultura local, com o comportamento das pessoas que passam por certas situações na vida, vinda de uma nopva informação que gira pelo mundo inteiro com um apelo bem... Emocional ! E o que mais acontece, dentro de muitas famílias é já vestir o bebê com a camiseta do time, geralmente são os fanáticos por futebol, que levam a torcida do time entre gerações e gerações e sempre querem deixar a criança, logo nos primeiros dias de vida, totalmente suposta a um determinado campeão no esporte, sem mesmo deixá-la escolher qual time torcer pelo resto da vida. Realidade no mundo inteiro, seja um time do país, da cidade ou do coração, o futebol é um esporte global, faz parte da cultura de muitas famílias e de um dos momentos mais fantásticos da vida, se transforma em um material publicitário nopvo e inteligente. São os bebês no anúncio da Umbro, que parecem mais um time em suas expressões jogando em campo do que suas expressões de berço.










Fonte: PROCOPIO Sports

8/21/2009

EU SOU DE PLÁSTICO


Se tem uma coisa que me orgulha demais é quando alguma tendência de gestão ou consumo brasileira toma proporções giga e vai para na gringa, melhor ainda se for no Planeta Fashion.

Em matéria para o NY Times no seção Lifestyle, a editora Suzy Menkes levantou a bola dos sapatos de plástico que estão dominando o mundo e antes mesmo de alguém pensar em qualqer marca poderosa do mundo, nós (brasileiros) lembramos da MELISSA.

Um especial do NY Times levanta exemplares de Yves Saint Laurent, Givenchy, See by Chloé, Tory Burch e Lacoste, todas declaradamente eco-friendly, feitas com plástico reciclado, e preços mais acessíveis, de US$ 200 (uns R$ 369) pra baixo.

Há quem diga que um dos grandes responsáveis pela popularização destes calçados é a Croc (confesso que tenho muita preguiça de falar desse sapato feio que dói). A empresa vendeu mais de 100 milhões de pares de sapatos nos últimos sete anos, mas o NY Times dá o crédito à Melissa brasileira, que há 30 anos faz esse trabalho e se consagrou como a maior empresa de calçados de plástico do mundo.

A Grendene conseguiu fazer uma coisa super estranha que é um sapato feito de plástico entrar na cultura de consumo brasileira e hoje todo mundo acha normal. Mostrar ao mundo que isso é possível e permite inúmeras opções de design foi o ponto chave da Melissa nessa galgada global.

"Creio que a Melissa ajudou a romper alguns tabus em relação ao material. É muito interessante ver que o mundo da moda aderiu a algo que fazemos há 30 anos", diz Eduardo Jordão de Magalhães, diretor de marketing internacional da marca.

Depois de Havaianas e Melissa, porque as marcas de tênis nacional não buscam inopvar em pró do brasileiro ao invés de copiar os made in china da marca das três listras?

Fica a dica.

8/19/2009

Ruídos de comunicação

Vivemos em um mundo em que muitas vezes, nos deparamos com várias ferramentas de comunicação ao nosso lado, o que acaba explodindo nossas mentes de tanta informação ao mesmo tempo. Frente ao costume, nem reparamos o quanto estamos à mercê de tanta informação ao mesmo tempo. Bastam essas no trabalho, ao lado do telefone, pilhas de revistas, jornais, anuários e em frente ao computador, viajamos dentro do grande fluxo de informações no nosso dia-a-dia. É a caixa de entrada dos emails aberta, programas de mensagens instantâneas como o MSN (seja para contatos do trabalho, família ou amigos), skype para ligações de longa distância, twitter para receber tópicos do seu interesse (ou mandar outros da sua empresa), sites de relacionamento básicos como Orkut, Facebook etc, o inseparável celular (sair sem ele, é como sair nu por aí), Nextel para levar alguns sustos ao longo do dia e, para completar, coloque os fones de ouvido e se plugue na era da múltipla informação em tempo real! Ufa, quanta coisa! Para nós, que trabalhamos assim todos os dias, precisamos nos desligar por alguns momentos da era tecnológica, mas aposto que nem dormindo muitos deixam o celular ligado o mais próximo possível. Eu aconselho a não fazerem isso tudo em casa (façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço) pois você pode chegar próximo a ter uma crise de excesso de informações por culpa única e exclusivamente sua. Mas vamos deixar os efeitos colaterais de lado e focar naquilo que é imprescindível na hora de receber ou mandar uma informação: Os ruídos da comunicação.

Basta um simples erro na hora de falar, ou na maneira de interpretar aquilo que é repassado, que tudo pode ir por água abaixo, como um trabalho elaborado em um longo tempo, um cliente conquistado com muito esforço ou até mesmo a salvação da humanidade. É como se fulano estivesse desarmando uma bomba e beltrano pedisse para desligar o fio vermelho, ele entendesse que é o azul e com o alicate na mão, tudo está acabado. Pois bem, frente a qualquer dúvida, não custa nada perguntar ou repetir novamente um briefing, para que no final não saia nada de errado ou nenhum arquivo seja enviado incorretamente melando toda uma produção, um projeto, algo muito importante no trabalho ou até mesmo na vida pessoal. Errar é humano, mas persistir no erro, estar desatento às orientações, tomar decisões sem informações preciosas, isso sim é grave. Isso vai minar a confiança no seu trabalho. E confiança é tudo numa relação de trabalho ou em qualquer outra na sua vida.

8/14/2009

Nada de Missa no Domingo

As agendas dos bares e clubes no mundo inteiro estão lotadas e agora o que fazer? Depois de Nova York, Londres, Miami e Berlin, São Paulo confirma a tendência das festas de Domingo.

Já chamadas de Domingueras, Matinées e vai, eu até aceito o nome de Pool Parties, as festas de domingo chegam para dar um ar fresco na "noite" brasileira. Inspiradas nas Day Parties de Miami e Berlin e com grande referência nos Light Pubs de Londres e Amsterdan, as festas de domingo criam uma nopva atmosfera mais limpa, básica e sem drama nos clubs e bares.

Algumas mudanças de comportamento estão surgindo no Brasil, principalmente em São Paulo. O que é? ainda não sei. De onde vem? estamos pesquisando. Quem está mudando? Bom, isso eu já posso responder..a mudança está surgindo nos jovens urbanos, Nós !

As festas de domingo com início logo após o almoço, entre 15h e 17h buscam acima de tudo, um encontro casual de amigos, um final de tarde com muito bate papo e muita leveza, para chegar vivo e decente na segunda-feira de manhã.

Os jovens de vários lugares do mundo estão mudando o seu foco de diversão e buscando coisas mais simples. O caos, a jogação e a loucura das grandes noites e dos grandes públicos ainda lotam as grandes casas de São Paulo e Rio, mas aos poucos o que mais parece um cafézinho depois do almoço entre amigos chega ao Brasil e tem vocação para o sucesso.

O que é preciso pra dar certo? DUAS COISAS !!

1. O público brasileiro se acostumar a sair mais cedo, já que se infincou na cultura clubber do país, as festas começarem cada vez mais tarde e o povo chegar mais tarde ainda.
2. As festas passarem essa imagem que está implícita nelas de clima clean & casual, ou seja, nada de música pesada, excesso de drinks alcoolicos e claro, terminarem cedo, já que não adianta nada começar às 15h e terminarem 01h da manhã.

Alguns exemplos já começam a pipocar em São Paulo, a festa Café com Vodka no Sonique Bar, a Festa Dalva aguardadíssima,que estréia esse finde no Vegas Club e a mais esperado por mim, a Sunday Feelings no novíssimo Bar Squat promovida pelo clã da FunHell.






E aí se empolgou? Domingo não é mais só dia de Missa.

Evento rolando...


Começou nesta quinta (13.08) a feira CRAFT DESIGN, que é um evento para negócios destinados à lojistas, arquitetos, decoradores, designers e demais profissionais da área onde são apresentados semestralmente lançamentos de produtos inovadores de designers consagrados e novos talentos.

Quando: Até domingo (16.08)
Onde: Centro de eventos São Luis – Rua Luis Coelho 323 Consolação – São Paulo.

Fica a dica!
Mais infos: Craft Design

8/12/2009

Do you have a Facebook?

O Facebook confirmou quinta-feira o lançamento de uma fase de teste para uma nova versão da sua rede social. Chamado "Facebook lite", que é principalmente caracterizada por uma interface simplificada, semelhantes aos existentes para os telemóveis. "No momento, estamos testando o Facebook lite em países onde muitas pessoas estão descobrindo Facebook, e estão buscando uma interface mais simples", explica a empresa a Techcrunch.
Ele comemorou seus 250 milhões de usuários pelo mundo. De acordo com as primeiras imagens que circulam na internet, o Facebook lite oferece uma interface semelhante à Friendfeed. O Facebook anunciou esta semana que comprou uma pequena empresa que oferece um serviço que agrega na mesma página uma série de informações provenientes das redes sociais, blogs e sites selecionados pelo usuário. Este investimento de US $50 milhões deve permitir o Facebook posicionar-se fortemente na interação da web em tempo real e para competir com o Twitter. No ano passado o Facebook tentou comprar o Twitter, sem sucesso, por um montante estimado em US$500 milhões.
A PROIBIÇÃO DAS ATUALIZAÇÕES "PATROCINADAS"
O site também apresentou ontem aos seus usuários uma nova versão das suas condições. Sendo a principal diferença: a proibição do uso de um perfil pessoal para fins comerciais, incluindo "vender o seu status de atualizações para um anunciante”. Uma regra que se refere à prática, bastante difundida no Twitter, as “atualizações patrocinadas” onde um anunciante paga para você fazer a publicidade de seus produtos em suas atualizações ou tweets. Muitas empresas têm a Magpie especializada nesta prática, que também pode levar à poluição descontrolada dos fluxos de mensagens. Mas sua proibição no Facebook também garante o controle do mercado da publicidade na sua rede.

Usuários de redes sociais têm uma semana para comentar sobre a nova versão dos Termos de Utilização. Se mais de sete mil delas comentarem, o novo texto será submetido à votação dos assinantes do Facebook.

Eu particularmente adoro receber informações sobre empresas privadas e marcas que são ícones no mercado, como por exemplo o perfil da Adidas no Facebook que atualiza tudo que é tendência em seus produtos, fora os eventos que ocorrem pelo mundo. Por outro lado, empresas que trabalham com perfis privados para divulgar produtos, serviços e até eventos terão que se adequar as novas normas de utilização do serviço.

Fonte: Le monde

8/11/2009

Vamos fumar lá fora?


Nina Lemos do 02 Neurônio da Folha de SP deu a versão mais otimista para a Lei Anti-Fumo. Segue abaixo, minha indicação de leitura sempre que possível.

Eu já falei aqui o que acho dessa lei antitabagista que vai atingir a cidade de São Paulo esse mês. Agosto já começa com um desgosto. E vou continuar repetindo que dançar sem fumar é muito chato. Mas como às vezes uma otimista sai de dentro do meu corpo pessimista, já comecei a me apegar a uma pergunta. Uma pergunta bem simples, mas que pode causar muita coisa: “vamos fumar lá fora?”

A proibição absoluta ainda nem começou, mas já comecei a falar (e a ouvir) essa frase com gosto. Tenho ido fumar lá fora. E tem sido bom.

Fumar lá fora possibilita encontros. Conheço gente que foi fumar lá fora e se beijou. Conheço gente que foi fumar lá fora e ficou amigo para sempre. Muita coisa, repito, pode acontecer quando você vai fumar lá fora. Você pode ouvir histórias incríveis, porque geralmente quem vai fumar lá fora tem coisas maravilhosas para contar. Você pode rir fumando lá fora. Você pode fazer confissões fumando lá fora. Você pode chamar quem você quiser para fumar lá fora.

A conversa na mesa está chata? Vamos fumar lá fora.

Quer falar uma coisa só para uma ou duas pessoas? Vamos fumar lá fora.

Quer um segundo de intimidade no meio da noite louca? Vamos fumar lá fora.

Quer ficar sozinha um pouco? Vá fumar lá fora.

Sim, governadores, prefeitos e politicamente corretos do mundo, vocês conseguiram acabar com uma das melhores frases do mundo, aquela linda, dita com charme na pista de dança: “você tem fogo”. Mas vocês não conseguiram nos destruir. Agora temos outra. Está tudo certo. Façam as suas leis. Enquanto isso, a gente vai fumar lá fora.

Fonte: 02 Neurônio

SERVIÇO AO LUXO


As conferências e workshops de diferentes áreas do mercado estão chegando com tudo aqui no Brasil. Ao melhor estilo globalizado, agências e bureaus brasileiros estão aumentando as parcerias internacionais para trazer grandes nomes de palestrantes, professores e críticos pro Brasil.

O mercado de luxo está nessa cena e terá toda a atenção entre os dias 9 e 11 de Setembro quando rola a 2ª Conferência Internacional de Negócio de Luxo - Atualuxo 2009, no Hotel Grand Hyatt.

O evento, organizado por Carlos Ferreirinha da consultoria MCF de conhecimento de luxo, vai ter palestrantes poderosos no ramo, como a francesa Nelly Rodi, dona de um bureau de tendências que leva seu nome e tem mais de 100 clientes, entre eles Lancôme, Fendi, Louis Vitton, Möet et Chandon e Veuve Clicquot Ponsardin.

Outro nome é Valérie Leboucq, editora da "Série Limitée", revista de luxo do maior jornal de negócios da França, o "Les Echos", que deve falar de como a crise mundial atingiu este mercado.

Para os interessado na área, o investimento não é pequeno, seja em moeda ou eu conhecimento !

ATUALUXO 2009 @ GRAND HYATT
ONDE: Av. das Nações Unidas, 13.301, info.: 0800-774-4166
QUANDO: De 9 a 11 de setembro, das 9h às 18h
QUANTO: R$ 3.950 pelos três dias de evento