Páginas

1/15/2010

Equilíbrio Online e Offline



Foi divulgado recentemente um estudo da Disney sobre o comportamento de crianças européias de 8 a 14 anos, os chamados Tweens. E um dos achados mais interessantes está relacionado ao mundo virtual mostrando que as crianças preferem a vida real à internet.

Computadores e internet são importantes para 95% dos entrevistados, mas encontrar amigos e fazer novas amizades pessoalmente (não de forma online) é a preferência da maioria. E mais, 44% deles acredita que a função da web é reforçar laços de amizade e para manter contato com amigos já existentes no "mundo offline".

A pesquisa foi feita com mais de 3.000 crianças na Europa e a Disney já chegou à conclusão de que elas são uma geração que, ao mesmo tempo que já nasce com a tecnologia de ponta como algo natural e o mundo como algo tecnológico, mantém comportamento e valores bem tradicionais da antropologia do século passado.

Por enquanto, é apenas uma pesquisa, mas pode ser um sinal de que está vindo uma geração mais digital, porém mais equilibrada. Com o passar do tempo, as pessoas estão sabendo equilibrar melhor o tempo entre o que se convencionou chamar de “vida online” e de “vida offline”.

O gráfico abaixo mostra como algumas das ações de nossas vidas já possuem a versão offline e online simultaneamente.


Já chegamos a fase onde ir ao parque, marcar um cinema com os amigos e comprar um livro novo se tornou uma ação saudosista, pra alguns quase retrô.

Imagem: Reprodução

15 comentários:

Inez disse...

Se esta tendência se confirmar é ótimo, as crianças terão uma vida mais saúdavel.

Rodolfo Soares disse...

Interessante...
Acho que a internet prejudica nessa idade... por isso tive um infarto qnd minha afilhada criou orkut

Abraços

Neuro-Musical disse...

É bom ouvir noticias como essa, porque infelizmente, daqui a pouco nem sairemos mais de casa. Comeremos, dormiremos, tudo pela internet rsrsrs

http://cerebro-musical.blogspot.com

Tati disse...

Mais do que equilíbrio entre a vida "online" e "offline" é a forma como essas crianças usarão a web: mais direcionada, mais bem intencionada. Ainda estamos na fase de usar as redes sociais mais para a vida pessoal do que para a profissional. E acho que o desequilíbrio está aí!

Rogerio disse...

a tecnologia esta no sangue...hoje em dia as criança já nascem conectadas,,,

Marcelo Leite disse...

É verdade. Parece que tudo se desfaz...
Post interessante.
Blog inteligente.

João Victor Borges disse...

que bom que fizeram essa pesquisa,
porque é o contrário do que muita gente pensa. ._.

http://anpulheta.blogspot.com

Daniela Lima disse...

Q seja assim, pois terão uma vida mais saudável, sem alienações e sedentarismo!

JASMINE TIGER disse...

Eu adorei seu blog mt ,mt interessante
parabéns

Satiko disse...

Poxa que legal essa informação!Imaginem só...tomara que o futuro seja mesmo assim neh!
MAis vida,menos alienação na internet!

Fabio Bustamante disse...

O resultado do estudo foi positivo. Os jovens estão cada vez mais afastados da vida social. Não praticar atividades saudáveis é algo que pode prejudicar os jovens no futuro.

www.botecodohumor.blogspot.com

Érico disse...

Até q enfim, um pesquisa interessante. Acho q deveria ser divulgada em grande escala

Atch. disse...

Em nome da saúde, desenvolvimento humano e senso de comunidade, apoio totalmente essa teoria! Utilizo muito Internet para ter um primeiro contato com pessoas, mas procuro conhecer a pessoa pessoalmente o mais cedo possível.

Manoel Leonam disse...

Pedobear fellings...

Silvio Junior Wencevoski disse...

As crianças já nascem na própria tecnologia dos equipamentos para mulheres gravidas etc. Acho que a internet é interessante após os 13 ou 15 anos, se não a criança não terá infância e nada para contar no futuro, será uma criança pobre em situações vividas.

Abraços.