Páginas

12/09/2009

Os ventos da mudança

Dentro de um laboratório de tendências muita coisa interessante surge, mas devido à falta de fins lucrativos e interesse de clientes, elas acabam se perdendo no meio de tantos sinais de tendências que analisamos.

Como não dá pra simplesmente jogá-las no lixo virtual. Resolvi fazer uma lista dos sinais de tendência que 2009 consagrou e ainda vão dar muito que falar na próxima década. Todas as tendências são relacionadas à mudança de comportamento social e cultural e por isso não se relacionam a nenhuma nova tecnologia futurista ou a um novo padrão de design vanguardista. Aos interessados segue a lista dos sinais mais significativos que culminaram em 2009.

1 – Questionamento do estilo de vida consumista. Claro que o sinal mais claro desse comportamento foi a crise que o mundo (EUA) passou no final de 2008 com sinais que nos afetam até hoje. Manchetes como “A nova depressão” e “Sentada sobre o luxo. Paris se envergonha”, 2009 foi o ano do questionamento do consumismo desenfreado que teve início logo após o Plano Marshall e hoje nos mostra o drama de seus efluentes. Até a hedonista Dubai sucumbiu e pediu arrego depois de mostrar pro mundo que podia tudo. A questão é clara, o mundo está sofrendo as conseqüências da sua falta de frugalidade. Até quando vai durar o Zeitgeist consumista? (enquanto durarem os estoques talvez...)

2 – Movimento de convergência. O Twitter, a febre das redes sociais, a crise da imprensa de papel no mundo, o Kindle, as pop-up e swap-up stores e as inúmeras possibilidades da tecnologia .mobi evidenciaram a aceleração do fenômeno de convergência, como macrotendência. Isso já era bem esperado pelos economistas, a prova de que um mundo de excesso (de dados e informações) só pode funcionar se for convergido a um status único, afinal o ser humano, fisiologicamente falando, ainda é um só !

3 – Efeito “Mundo Mágico na geração Y. De livros, filmes e histórias desde a metade dessa década, já se observa a obsessão pelo mundo fantástico que os jovens vivem hoje. Em oposição ao amadurecimento acelerado dos anos 90, os bruxos fantásticos, os vampiros caretas, os lobisomens de 20 anos estão tomando conta da mídia em seriados, filmes, livros e vídeo games. Só posso citar a literatura e o Arcadismo que pregava a fuga da realidade para construir sonhos. Do que será que os jovens estão fugindo agora? gravidez precoce, desemprego, sexualidade antecipada, narco-tráfico, problemas familiares, são tantos que deixo a vocês a escolha.

4 - Metrópoles brasileiras em alta. São Paulo deve produzir o quinto maior PIB do mundo nesta década e Rio 2016 consolida a nova onda de “carioquismo” na cultura brasileira e no mundo. O Brasil finalmente passará a ser visto como um país urbano e civilizado. Só resta saber se a violência, a pobreza, o narco-tráfico e tantos outros problemas sociais urbanos não vão atrapalhar essa busca pelo título de New Big City.

5 – Sustentabilidade Mainstream como fenômeno global. Nos próximos anos, mais e mais pessoas vão se conscientizar do peso da falta de sustentabilidade no mundo. “Sustentável” vai ser um adjetivo que as pessoas usarão como elogio, logo depois de “engajado” e a busca por marcas sustentáveis levará as empresas a reposicionar grande parte de suas ações. Não se espantem se a Unilever plantar uma árvore com o nome de OMO no supermercado em meados de 2011. Mas a dúvida que ainda assola os pesquisadores é o contraste do “Consumo em tempos de crise”. Será que vender carros a preço de banana em São Paulo é a melhor ação a longo prazo?


Existem outros sinais que também merecem destaque nesse ano de 2009 e em breve colocarei uma outra lista de sinais aqui no blog. Longe dos pesquisadores praticarem a ciência da Futurologia, isso a gente deixa com os astrólogos e numerólogos, mas observe os sinais a sua volta e perceba se esse não é o caminho que estamos seguindo.

Post dedicado a todos os pesquisadores de Trend Labs.

Imagens: Divulgação.

5 comentários:

Cris Martins disse...

Parabéns pelo blog!!Muito rico em conteúdo!
Visitem também o nosso, esperoq ue gostem:
http://www.abczdigital.com.br/wordpress

Pantera disse...

Eu não via a literatura fantástica como um tendência específica deste ano ou desta década, tendo em vista que ela sempre existiu. Mas de qualquer forma, a minha análise nunca foi muito aprofundada.

http://paralaxehiperbolica.blogspot.com/

Tiago Ferreira da Silva disse...

Sei lá,

Esses ventos de mudança são evidentes, como você bem destacou. Mas certas coisas ainda estão se perpetuando, como a dificuldade de acesso dos cidadãos interioranos e o crescimento cada vez maior de metrópoles como São Paulo.

Isso é preocupante porque, daqui há alguns anos, o contingente populacional vai ser tão enorme, que a cidade não vai mais conseguir suportar tanta gente aqui. Deveria-se dar mais ênfase às outras cidades que temos. O perigo de uma economia concentrada é a dificuldade de torná-la acessível ao maior número de pessoas possível.

Quanto às novas tecnologias, acho que a tendência é se tornar cada vez mais um mercado CONCENTRADO. Isso mesmo. Está tudo tão avançado, que vai chegar um momento em que o ser humano não vai dar mais conta de atualizar tanta coisa. Posso estar errado, mas só o tempo vai mostrar como vai ser.

Abs!
Tiago

Gustavo Santiago disse...

Tiago,

A gente não trabalha com numerologia nem astrologia. Então fica difícil prever como estará uma cidade brasileira daqui a 30, 40 anos. Só esperar para ver, sabendo o que pode e não pode acontecer.

Já é possível prever que, um bom investimento nos dias atuais são nos imóveis de centros urbanos do país. Sendo assim, um imóvel em São Paulo por exemplo, daqui a 30, 40 anos, será tão valorizado como os espaços caríssimos em Manhattan. Isso sim é uma oportunidade para as grandes metrópoles com crescimento constante.

Problemas existem, sim, mas é sempre bom olhar o lado positivo do que acontece no mundo.
Você tocou em um ponto que é crucial: o investimento em cidades interioranas.

Enquanto o governo faz pouco, a iniciativa privada dá um show de bola nesses ladrões que enfiam dinheiro na cueca. Empresas brasileiras estão otimistas, com ventos favoráveis para 2010. É só você pegar qualquer info de uma Exame, Maiores e Melhores, Valor, ver niveis de vendas, ou um relatório anual daquelas que tem capital aberto, ver os totais de investimento, abertura de fábricas pelo país inteiro, e geração de muitos, muitos empregos. O contrário de muitos outros países que ainda estão na ressaca da crise. Crise?

O país precisa mesmo é de uma organização humanística, voltada para o brasileiro, com investimentos em infra-estrutura e tudo mais, dando acessibilidade para todos, e fazendo cidades do interior, as melhores para se viver no Brasil. O que já esta acontecendo... é só avaliar o ipc, idh de muitas por aí.

O jeito é esperar pra ver...

Tiago Ferreira da Silva disse...

É verdade,só com o apoio do investimento privado o país pode ter uma esperança de crescimento maior.

Na verdade, o governo deve focar mais em melhoria de vida do cidadão, como você comentou.

Se grande parte das obras fosse ordenada por capitais privados, certamente as pequenas cidades teriam uma infra-estrutura melhor.

Mas creio que, de uma forma ou outra, essa é a tendência.

Afinal, temos que ter um olhar positivo, senão enlouquecemos.

Abraço Gustavo!!