Páginas

11/23/2009

Logística para a vida

Mais necessário do que a nossa própria locomoção é a urgência em enviar e receber um documento ou material de trabalho com urgência.

Foto: Reprodução

Resultados do crescimento:

Quem mora em São Paulo está sentindo na pele o que é passar por um período de grandes obras do governo, como o rodoanel, marginal, metro, linhas de trens metropolitanos e corredores de ônibus. Um alto investimento do governo, de empresas privadas e da população, que sofre com o caos na cidade em grandes congestionamentos, fruto do alto crescimento do numero de carros nas ruas.

Durante a semana, quem anda pelas ruas mais movimentadas das metrópoles brasileiras, entre carros, pedestres, ônibus e bicicletas, enxergam os motoboys como condutores exagerados e com falta de educação. Mas esquecem que eles estão com pressa para atender ao tempo determinado de uma entrega e garantir a qualidade no serviço. Sendo que muitas vezes, uma dessas entregas pode ser a sua!

Há quem ainda não respeite e tenha uma visão diferente dos motoboys. Mesmo assim muitos sabem que eles sãos os responsáveis por fazer o Brasil andar, sobre duas rodas. Seja a necessidade da entrega de um documento importante, de um material gráfico finalizado de ultima hora, de uma pizza, uma comida japonesa ou até mesmo um coração que vai salvar uma vida, são eles que nos salvam de vários congestionamentos gigantescos e estão todos os dias na luta contra o tempo, o transito, o stress e ainda correndo riscos.

Entre as estatísticas de mortes no trânsito em São Paulo, 46% são pedestres, 32% motociclistas, 17% motoristas e 5% ciclistas. (fonte: CET SP)

Educação e responsabilidade com a vida:

Estive semana passada na CET (Companhia de Engenharia de Trafego) em São Paulo para conhecer mais de perto os programas educacionais no transito para condutores. Fiquei impressionado com a organização do DET (departamento educacional do transito), que faz um trabalho incrível e que muita gente não conhece.

O DET promove cursos e atividades educativas, dirigidas a escolas, empresas, entidades e profissionais que atuam direta ou indiretamente nas áreas de educação, transporte e trânsito, atendendo desde o público da educação infantil até a terceira idade.

Entre a maioria que procura os cursos do DET, estão as empresas que buscam a segurança dos seus profissionais que trabalham na rua. Com foco em reduzir gastos com acidentes relacionados ao trabalho.

Para uma empresa que precisa de seus profissionais constantemente presentes e não podem enviá-los para os cursos, por questão do custo de tempo, o DET envia professores para dar palestras gratuitas nas empresas, sejam elas de 15 minutos ou 1 hora.

Mesmo com muitos problemas, O DET da CET de São Paulo é referência mundial em educação no trânsito. No salão duas rodas, o stand chamou a atenção de profissionais e dirigentes do governo de Buenos Aires, cidade que não possui projetos de iniciativa à segurança dos condutores.

Investimentos do governo.

Para quem já viu a campanha, que foi lançada pelo Ministério das Cidades no dia 30 outubro “Sou legal no trânsito”, com a veiculação das propagandas de televisão, jornal, rádio, mídia externa e revista em todo o Brasil. Com investimento de R$120 milhões do governo federal em campanhas de educação no transito. Graças aos recursos arrecadados com infrações de trânsito e com o pagamento do seguro obrigatório.

A responsabilidade no transito de cada município, é da prefeitura. Seja uma cidade de 20 mil habitantes que possua um profissional que cuide disso, ou a maior cidade do país que tem o um esquema especial em prol da vida de todos.

Entre as cidades brasileiras que possuem uma boa estrutura de educação no trânsito estão: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Curitiba, Campinas e Santos.

Oportunidade de negócio:

Frente a um tema tão importante que aborda a vida de muitos brasileiros envolvidos direta ou indiretamente com os profissionais de logística, empresas privadas estão investindo em responsabilidade social, desenvolvendo projetos e ações que causam um impacto significativo na vida de muitas pessoas.

São ações de rua, cursos (com certificação), capacitação, palestras, eventos, atendimento em rodovias (que estão péssimas) pelo Brasil, tudo voltado à segurança dos condutores.

Qual é o panorama desse cenário de crescimento: as empresas estão fazendo um papel em setores que o governo deveria fazer. Mas além de ganhar nota 10 pela qualidade nos projetos em prol da vida dos condutores, elas constroem a credibilidade e visibilidade de marca em um mercado tão competitivo quanto o de hoje.

Quer saber quais são essas empresas? Continue a ler o MKTfocus.

5 comentários:

Tiago Ferreira da Silva disse...

Gustavo,

A tendência do trânsito é se piorar daqui pra frente, não tem jeito. Por mais que se invista em infraestrutura em transporte público e apliquem leis rigorosas de trânsito, o contingente populacional é o grande empecilho.

Primeiro, porque é uma área industrial e, logo, atrai os moradores de pequenas cidades. Ou seja, mais gente vindo.

Segundo: a sociedade está economicamente melhor. Logo, mais condições e facilidades pra comprar carros, objetos de luxo e conforto.

A falta de investimentos em metrô, por exemplo, em gestões anteriores refletem no caos crescente de hoje. Para pensar em um quadro melhor, muito dinheiro deve ser gasto e muita gente vai sofrer consequências.
O negócio é cobrar.

Ah, sobre os motoboys eu fiz uma reportagem interessante que pode ser conferida no link:
http://atemporalizando.blogspot.com/search/label/Motoboys

Grande abraço!

Rodrigo The Rock disse...

Ficar preso no trânsito realmente me transforma num tipo de animal que nem meu pior inimigo gostaria de chegar perto.

Adriano disse...

Belo Horizonte, em proporçoes bem menores [é claro], está passando pelo mesmo problema de são paulo. é complicado viver nunca cidade que é um canteiro de obras, mas se é para o bem de todos e felcidade geral da nação...

freelancer disse...

Realmente a tendência do trânsito é só piorar daqui pra frente. Isso mostra a incopetências daqueles que estão no pode de gestão e planejamento nesse nosso Brasil.

30 e poucos anos. disse...

Eu acredito que o governo esteja fazendo a parte dele para ajudar a organizar o transito de SP...mas realmente o que é preciso fazer rapidamente não está acontecendo que éa melhoria do transporte público.