11/16/2009

QUAL O LIMITE DE TUDO ISSO?!


A maior agitação durante a última semana de desfiles de moda não era sobre as tendências para o próximo verão, os cenários incríveis, ou mesmo as celebridades. Foi sobre as maneiras que a mídia sociais - blogs, YouTube, Facebook, Twitter e outros – da noite para o dia se tornaram parte integrante de como as marcas de moda levam sua mensagem ao público.

Os desfiles durante o mês de Setembro e Outubro foram um primeiro vislumbre do que o mundo da moda elitista poderá se tornar em breve: um negócio onde os designers levam suas coleções diretamente aos clientes, já não mais filtradas através de editores de moda de poderosas revistas femininas e compradores de lojas que parecem templos do luxo.
Os clientes poderão ver uma coleção ao vivo na internet e decidir o que querem comprar e dar um feedback instantâneo em blogs, no Facebook e Twitter.

Uma empresa que aproveitou o poder das mídias sociais durante as coleções recentes foi a marca italiana Dolce & Gabbana. Os estilistas Domenico Dolce e Stefano Gabbana até remanejaram alguns compradores para fora de seus lugares habituais na primeira fila para dar espaço para quatro grandes blogs do setor – (MKTFocus, um dia quem sabe...) Tommy Ton, Garance Doré, Scott Schuman e Bryan Yambao, além de instalar laptops para os blogueiros poderem escrever e tweetar em tempo real.

"Blogs são muito importantes para nós", disse Gabbana.

"Nós sempre mantemos eles informados com as nossas novidades e sempre os procuramos já que eles representam uma forma rápida e espontânea para obter novas informações e feedback do que fazemos”, completa.

Os designers também postaram diários em vídeo no YouTube durante a semana antes do grande desfile, em parte para informar os fãs sobre a coleção e em parte para obter feedback pré-desfile.

O show em si foi mostrado ao vivo no site Dolce & Gabbana e no Fashion TV, com câmeras na passarela, nos bastidores e a chegada do público. Quando foi publicado, mais tarde, no canal da Dolce & Gabbana no YouTube ajudou a classificar como o canal mais visto do YouTube em todo o mundo pelas 24 horas seguintes.

"A Web, para as marcas de luxo, não é o futuro, mas sim o presente", disse o Sr. Dolce.

Outras marcas de moda também escolheram maneiras diferentes de usar as mídias sociais em prol de suas marcas: Yves Saint Laurent e Stella McCartney usaram seus Twitter feeds. Louis Vuitton teve o seu desfile transmitido ao vivo. E o estilista britânico Roland Mouret utilizou 28 câmeras para filmar o desfile e os bastidores para a própria audiência escolher sua própria maneira de ver o desfile.

E, em um exemplo enorme do poder das mídiais sociais, um tweet da Lady Gaga fez tantas pessoas clicarem no livestreaming do desfile de Alexander McQueen que os servidores do site caíram em menos de 5 minutos.

No saldo final das coleções, marcas como Gucci e Burberry tiveram novas idéias:

A Gucci apresentou sua mais recente linha de óculos, Gucci Eyeweb, com uma campanha viral na internet. Seu site, guccieyeweb.com, permite que os visitantes carreguem suas próprias fotos e depois as imagens eram apresentadas como se fossem o reflexo no óculos de vários estilos.

"Vemos isso como uma promoção de Web tática", disse Patrizio di Marco, presidente da Gucci.”

É um componente muito bom, se considerarmos que o público-alvo dessa linha é o público jovem que movimenta as redes sociais. Além de ter um custo-benefício incrível, já que a construção e a manutenção do site equivalem a um punhado de páginas durante o ano em mídias tradicionais.

A Burberry na semana passada lançou o "Art of the Trench", como o MKTfocus já citou aqui. Além de convidar os usuários a carregar suas próprias imagens e de postar comentários, o site também convidou o Sr. Schuman, do blog Sartorialist, para fotografar pessoas em todo mundo em seus trench coats Burberry. Aumentando ainda mais a visibilidade da ação, já que hoje, o Sartorialist é o maior fenômeno na moda dentro das mídias sociais.

A variedade de plataformas mostra o quão grande essa fronteira nova na Web é - e nem todo mundo está tomando conta de que isso está acontecendo muito rápido. Uche Okonkwo, fundadora do Luxe Corp., consultoria de luxo de Paris disse algo que todos nós devemos prestar atenção:

"As pessoas estão ficando realmente animadas sobre as mídias sociais, sem realmente se perguntar se há realmente algum motivo para ficar animado."

A ascensão das redes sociais e a introdução do e-commerce a mais de uma década atrás cresceu na velocidade da luz - e muitas marcas se sentem pressionadas a saltar dentro delas sem sequer pensar numa estratégia para isso.

Algumas marcas de luxo evitam o aspecto social da Web, porque elas gostam de controlar as suas marcas e as mídias nesse caso, funcionam exatamente como o oposto, passando o controle da marca para os usuários.

Ainda se questiona muito o fato da Louis Vuitton ter se tornado uma marca tecno-entendida nos últimos anos e o quanto isso realmente combina com o posicionamento secular da marca.

Mas a aposta dos especialistas dentre todas as ferramentas de mídias sociais são os blogs (God Bless...), que se tornaram referência nos últimos 10 anos e hoje alguns são tão qualificados que chegaram ao nível jornalístico e isso só ajuda a melhorar a posição da internet em relação aos meios mais tradicionais como as revistas especializadas e os jornais diários.

Mas até mesmo os blogs estão sendo afetados por novas aplicações como Twitterfox, que utiliza os Twitter feeds e páginas do Facebook em simultâneo para produzir conteúdo em blogs. Algo que na minha opinião, diminui a capacidade de síntese e escrita dos blogueiros, tornando a coisa menos interessante.

“O Twitter pode ser a morte do meu blog" disse Mr. Yambao para o Suzy Menkes do Herald Tribune, referindo-se à sua página bryanboy.com, popular blog de moda na web.

Eu concordo com ele em número, gênero e grau. Tudo é tão instantâneo, nesses tempos de Twitter, que as pessoas estão entediadas com as coleções de moda, capas de revistas e artigos de jornais antes mesmo de serem publicados e chegarem às bancas.

Se alguém se lembra quando disse que a moda estava cansando de moda, volto a usar o bordão, mas com outro enfoque:

AS MÍDIAS SOCIAIS ESTÃO CANSANDO AS MÍDIAS SOCIAIS...

Fonte: Herald Tribune, NY Times, Bryan Boy e Luxe Corp.
Postar um comentário